{lang: 'en-US'}

sábado, 30 de junho de 2012

Reportagem na íntegra - Forças Armadas do Brasil: treinados, armados e mal pagos. Via Veja


Não era minha intenção publicar esta matéria na íntegra, mas é preciso alertar para a bomba - no sentido figurado, porém com o impacto literal - que o governo está criando ao minar os militares das Forças Armadas com salários defasados, equipamentos sucateados e nenhum incentivo à permanência dos mesmos nas fileiras. Muitos não admitem, porém é muito óbvio que há um revanchismo grande do governo para com os militares.

Franz Lima

Fonte: Revista Veja. Reportagem de Carolina Freitas e Gabriel Castro

Os mais de 339 000 homens da Marinha, do Exército e da Aeronáutica viram seus salários serem achatados ao longo dos anos, o que criou distorções absurdas. Um comandante de porta-aviões, por exemplo, ganha menos que um gráfico do Senado Federal

Neste domingo, familiares de militares marcharam pela orla da Praia de Copacabana no Rio de Janeiro em um protesto por aumento salarial. A manifestação, batizada de “panelaço”, aproveitou a presença de autoridades do governo e representantes internacionais no Forte de Copacabana para a Conferência Rio+20 para dar visibilidade à causa. Dados levantados pelo site de VEJA mostram a discrepância salarial entre os militares – que somam um efetivo de 339 364 homens - e os demais servidores públicos federais. Um operador de máquina do Senado Federal, responsável por colocar em funcionamento as máquinas do serviço gráfico da Casa, por exemplo, recebe salário de 14 421,75 reais. A vaga, preenchida por concurso, exige apenas Ensino Fundamental completo. Enquanto isso, um capitão-de-mar-e-guerra, o quarto posto mais alto dentro da hierarquia da Marinha e responsável, por exemplo, por comandar um porta-aviões, recebe remuneração de 13 109,45 reais. Veja outras comparações salariais e quanto ganha quem comanda as tropas ao final desta reportagem.


Os militares da ativa são proibidos de se manifestar. Por isso, escalaram suas mulheres para ir às ruas. Ivone Luzardo preside a União Nacional das Esposas de Militares (Unemfa) e é uma das articuladoras do protesto deste domingo. Ela causou alvoroço em março ao subir a rampa do Palácio do Planalto, em Brasília, de uso restrito da presidente. Tudo para chamar a atenção para as reivindicações salariais da categoria. Em maio, conseguiu entregar nas mãos da presidente um ofício com um pedido de audiência. Não obteve resposta. “O governo precisa separar a história da realidade”, afirma Ivone. “Os militares assumiram o poder nos anos 1960 porque ninguém queria um país comunista. Os que hoje estão no governo eram contra os militares na época. Criou-se um revanchismo.”
Outro líder do movimento é o militar reformado Marcelo Machado. Ele presidente a Associação Nacional dos Militares do Brasil, fundada há um ano e com sede no Rio de Janeiro e em Brasília. “A insatisfação é geral. Enquanto os comandantes das Forças Armadas têm salário de ministro, nós ficamos a pão e água”, diz Machado. “Os colegas não podem se manifestar, mas, por ser reformado, tenho sorte de ninguém poder me punir.” O movimento vem ganhando força a ponto de as duas associações terem marcado para 30 de agosto o 1º Congresso Nacional da Família Militar. 
Sob a condição de anonimato, pelo temor de represálias, militares da ativa e da reserva aceitaram conversar com a reportagem do site de VEJA. Eles narram uma rotina de dificuldades financeiras, endividamento e condições precárias para as famílias de militares que são transferidos de cidade. “Há militares com 25 anos de serviço em capitais que residem em quarteis, em alojamentos paupérrimos, com a família a 200 quilômetros de distância, onde podem pagar pelo aluguel”, relata um subtenente com 27 anos de Exército.
Um capitão do Exército da reserva aceitou mostrar seu contracheque (veja detalhes na ilustração ao lado). Ele tem 60% de seu soldo, de 5 340 reais, comprometido com empréstimos e financiamento imobiliário. Ao soldo somam-se gratificações pelo tempo de serviço e por especialização na profissão que dobram o valor da remuneração. Mesmo assim, ele chega ao final do mês com salário líquido de pouco mais de 3 000 reais depois de 37 anos de dedicação às Forças Armadas. “A vida militar é um sacerdócio, não um emprego. Tenho sangue verde-oliva”, diz o orgulhoso senhor de 57 anos. “Porém, acho injusto um capitão contar o dinheiro para poder trocar de carro enquanto um funcionário de nível médio do Senado anda de automóvel importado.”
Entre as reivindicações das associações de familiares está o pagamento imediato de um porcentual de 28,86%, concedido por lei aos servidores públicos em 1993, durante o governo Itamar Franco, mas nunca entregue aos militares. Em 2003, o Supremo Tribunal Federal editou uma súmula garantindo o pagamento às tropas. Em 2009, a Advocacia-Geral da União reconheceu a decisão. De acordo com o Ministério da Defesa, no entanto, o estudo para pagamento do reajuste está sob análise do Ministério do Planejamento. “A implementação de novos valores dependerá de análise do governo federal, observada a conjuntura econômico-financeira do país”, informou a Defesa. O ministério informou ainda que tem dialogado com o Planejamento “visando a melhoria da remuneração dos militares das Forças Armadas”. Não há, no entanto, previsão de quando pode haver uma resolução sobre o assunto.
Em 2011, a folha de pagamento das três Forças somou 46,56 bilhões de reais, sendo 17,54 bilhões de reais destinado ao pessoal ativo e 29,02 bilhões de reais para inativos e pensionistas.
Fuga da carreira militar - A pouca atratividade financeira da carreira tem feito minguar os quadros das Forças Armadas. Levantamento feito com base em dados do Diário Oficial da União mostra que, de janeiro de 2006 até maio de 2012, 1 215 militares deixaram a carreira. O Exército foi a força que mais perdeu pessoal, 551 homens, seguido pela Marinha, 405, e Aeronáutica, 229. Os detalhes estão no gráfico abaixo. O estudo foi organizado pela assessoria do deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ), porta-voz das tropas no Congresso. “Tem muitos oficiais saindo para ganhar mais em outras áreas. E o gasto que o governo tem para formar um militar é altíssimo”, afirma Bolsonaro. “O governo usa o pretexto da indisciplina para nos subjugar.”

As associações de familiares procuraram um por um os parlamentares para pedir a eles apoio para pressionar o governo Dilma Rousseff a conceder aumento. Os apelos tiveram pouca reverberação no Congresso. Além de Bolsonaro, apenas o senador Roberto Requião (PMDB-PR) deu sinais de apoio à causa. Em audiência da Comissão de Relações Exteriores e Defesa da Casa com o ministro da Defesa, Celso Amorim, Requião falou sobre a necessidade de valorizar a carreira militar e sugeriu o agendamento de um encontro na comissão, com a presença do ministro, para tratar do assunto. Até agora, nada está marcado, no entanto.

Promessas - Apesar de todos os entraves agora colocados pelo governo, um plano de reajustes para a categoria estava previsto na Estratégia de Defesa Nacional, lançada em 2008, durante o governo de Luiz Inácio Lula da Silva, e, ainda, em uma carta da então candidata à Presidência Dilma Rousseff, de 2010. Diz o documento assinado por Dilma e entregue à época aos representantes das Forças Armadas: “Os índices de reajuste salarial conquistados nos últimos dois mandatos presidenciais são uma garantia de que continuaremos efetuando as merecidas reposições.” As tropas, unidas, continuam à espera. 


Responsabilidades demais, remuneração de menos

A defasagem dos rendimentos dos militares fica mais evidente quando os salários são comparados aos de funcionários do Congresso Nacional, que estão entre os mais bem pagos do serviço público. Veja quatro exemplos dessa distorção

Faixa salarial: até 5 000 reais

NAS FORÇAS ARMADAS
Cargo: Primeiro-sargento
Salário: 4 844 reais
Atribuições: Na Aeronáutica, uma das funções é coordenar o controle do tráfego aéreo em aeroportos
NO CONGRESSO NACIONAL
Não existem servidores efetivos nessa faixa salarial. Faxineiros e ascensoristas, terceirizados, são os únicos a receber valores abaixo de 5 000 reais.

Faixa salarial: até 10 000 reais

NAS FORÇAS ARMADAS
Cargo: Capitão
Salário: 8 154 reais
Atribuições: No caso da Aeronáutica, pilotar caças como o Mirage 2000, que custa 20 milhões de reais
NO CONGRESSO NACIONAL
Cargo: Nessa faixa salarial, também não existem servidores concursados no Congresso. Esse valor equivale aos rendimentos de um assessor comissionado de sexta categoria, nomeado no gabinete de um deputado federal.  Para ocupar o posto, basta ser escolhido pelo parlamentar
Salário: 8 673 reais
Atribuições: Executar tarefas simples de apoio ao deputado

Faixa salarial: até 15 000 reais

NAS FORÇAS ARMADAS
Cargo: Capitão-de-mar-e-guerra (Marinha)
Salário: 13 109 reais
Atribuições: No caso da Marinha, é este o posto dos responsáveis por comandar um porta-aviões
NO CONGRESSO NACIONAL
Cargo: Operador de máquina
Salário: Até 14 421 reais
Atribuições: Colocar em funcionamento as máquinas do serviço gráfico do Senado. Exige apenas o Ensino Fundamental

Faixa salarial: mais de 15 000 reais

NAS FORÇAS ARMADAS
Cargo: General-de-brigada (Exército)
Salário: 16 646 reais
Atribuições: Comandar um grupo de até 5 000 homens em combate
NO CONGRESSO NACIONAL
Cargo: Técnico Legislativo
Atribuições: Digitar documentos, auxiliar na realização de tarefas rotineiras. Exige apenas Nível Médio
Salário: Até 16 563 reais

Franz says:  a situação está tão vergonhosa que os agiotas oficializados - as financeiras - estão veiculando pela internet, tv e rádio que emprestam (através de desconto em folha) para os militares da ativa e da reserva. Não há vergonha em ter dívida, o vergonhoso é trabalhar, expor sua vida ao perigo, prestar assistência em áreas de risco e regiões ribeirinhas, proteger vidas, inspecionar fronteiras, travar combate com traficantes e, ainda assim, ser tratado como um pedinte. O aumento salarial não é um aumento real, uma vez que estamos há anos sem qualquer reposição, ao passo que o salário mínimo, a inflação e o endividamento ampliam. O poder aquisitivo diminui, o estímulo também e ainda privam a classe de fazer greve. Quais os interesses em sucatear um grupo que, de acordo com a Constituição, tem por obrigação defender o país em tempos de guerra? Por que não há maiores questionamentos sobre a perda do poder bélico no país, além do êxodo de militares capacitados que migram em busca de uma remuneração mais justa?

Até onde irá esta situação não há como prever. Contudo, é fácil observar que a pressão aumenta e, acuado, até um rato reage. O silêncio já não existe como nos períodos em que o rigor era maior. Hoje, muitos se unem para divulgar e protestar, buscando união para ter maior força, uma voz mais forte. O que resta para pais e mães que já não conseguem ao menos quitar suas necessidades mais básicas? 

Alguém poderia informar o prejuízo ao país caso as fronteiras ficassem sem vigilância, os portos abandonados à própria sorte, a segurança legada à corrupção que impera em muitos Estados? Ainda há um desconforto em relação aos militares por conta do período ditatorial, mas é injusto que paguemos por algo que ocorreu quando ainda sequer éramos nascidos. 

Uma outra observação interessante está no anonimato forçado a que somos obrigados a permanecer. Os militares que declararam seus pagamentos, exibiram a realidade, o fizeram sob o sigilo, temerosos de represálias.  É errado lutar por melhores condições de remuneração e trabalho?

Quando esta bomba irá explodir é uma incógnita... mas ela irá explodir, isto é uma questão de tempo.

 


sexta-feira, 29 de junho de 2012

Promoção: “Os Defensores” - via Livros e Pessoas.


O site parceiro Livros e Pessoas está com mais uma excelente promoção. Como não poderia deixar de ser, vou também auxiliar na divulgação desta iniciativa que é uma ótima forma de incentivar o hábito da leitura. 
Confiram abaixo o que é necessário para concorrer:

Bem-vindos à cidade de Jewel, onde a impaciência é um pecado e a ousadia um crime! Goldie Roth vive em Jewel e como toda criança da cidade ela deve ser mantida acorrentada até o Dia da Separação.
Quando o Dia da Separação é cancelado, Goldie foge e vai parar no misterioso Museu de Dunt. No entanto seus dias não serão mais calmos que antigamente…o Museu esconde segredos que Goldie terá que desvendar para tentar salvar a cidade de uma grande ameaça.
“Os Defensores” é o primeiro volume da trilogia “Museu de ladrões” que chega às livrarias em Julho! A história se passa em uma sociedade distópica, em que as crianças são mantidas presas e tratadas com crueldade.
Uma sociedade que explora o medo para tentar controlar a vida das pessoas. Acho que vc já deve ter ouviu falar nisso, não?

Dia 10/7 vamos sortear 3 exemplares de “Os Defensores”, lançamento da @FarolLiterario.
Para participar é muito fácil:
  1. Siga os perfis: @livrosepessoas e @FarolLiterario
  2. Clique aqui para dar RT na promo
  3. Deixe 1 comentário no post original informando o seu perfil do twitter
Boa sorte!


Resenha do livro "Pulmão de Aço" de Eliana Zagui - com vídeo



Já leram algo com conteúdo real? Não estou me referindo aos livros de História, biografias ou algo similar. O que eu chamo de real é aquilo capaz de fazê-lo pensar, meditar, sofrer, embrulhar o estômago... capaz de lembrá-lo de que sua realidade, por pior que seja, é um conto de fadas. Eu li "Pulmão de Aço" e fui acometido por todas essas sensações, lembrei que o meu dito "ruim" é o sonho de muitos.
Quando findei a leitura, iniciei a reflexão. Ou melhor, toda a leitura me levou a refletir. Não que a autora quisesse provocar o mal-estar, mas o choque é inevitável e, honestamente, necessário.
Eliana não é um nome fictício. Ela existe, mesmo contra todas as estatísticas contrárias. Sua história foi, até certo ponto, igual ao de muitas outras pessoas que sofreram o que ela foi condenada a passar. A diferença? Ela sobreviveu.
Eliana contraiu poliomielite em uma época onde o desconhecimento e a má informação geraram incontáveis casos da doença. Ela não recebeu a vacina por estar com a garganta inflamada e, infelizmente, a polio a tomou.
Seu corpo, mesmo após o socorro, sofreu sequelas irreversíveis. Contudo, o tempo provaria que a prisão, composta por uma cama e aparelhos de sobrevivência, seria um dos fatores que a feririam. Com os anos, o corpo da criança cresceu, não de forma igual ao de uma criança saudável, mas quase. 
A mente da menina se tornou a de uma mulher. O amor viria, o medo também. A vontade de receber retribuição pelos sentimentos que tinha só aumentariam, mesmo que eles jamais saíssem do campo unilateral. Eliana passou por situações indizíveis. Foi abandonada aos poucos pelos pais, pela família. Perdeu amigos. Ganhou amigos. Aprendeu a escrever e aprendeu a chorar menos. Ganhou pés e mãos atrofiados e, paralelamente, recebeu uma mente afiada, olhos observadores e uma vontade enorme em manter-se viva. 
Eliana aos três anos e atualmente - quase 40 anos no Hospital.

Não vou transcrever todas as situações existentes no livro. Quero que cada novo leitor receba a mesma pancada que me atingiu. Não pensem que é uma batida seca, única, pois isso é algo que, com o tempo, esquecemos. O impacto é gradual - uma parcela mínima do sofrimento da autora - e cada vez mais intenso. É uma obra triste (pela realidade), porém de uma felicidade incomparável, principalmente pela lição nele contida. 
Leia e guarde cada palavra em seu coração. Use-as para que o esforço de Eliana não tenha sido em vão. Ela sobreviveu para contar através deste livro. Nós vivemos o suficiente para lê-lo. Tenho plena certeza de que, antes de qualquer reclamação, você irá ao menos pensar um pouco mais. Tenho plena certeza de que sua definição de solidão será radicalmente modificada.


O que disse a imprensa sobre o livro e a lição de Eliana:
Belaletra - Imprensa.

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Qual o limite para o que postamos nas Redes Sociais?


Por Franz Lima
Tenho verificado que há uma grande liberdade para o que é postado nas Redes Sociais. Seja pelo twitter, facebook, linkedin ou qualquer outra similar, o fato é que não há limites (literalmente) para o que se pode publicar nelas. Alguns optam por fotos insinuantes, outros por demonstrar poder com armas e ainda os que se gabam de atos ilícitos. Claro, muitos fazem ótimo uso destas fontes de comunicação, publicando trabalhos, divulgando cultura e usando as redes para melhorar. 
Mas qual é o real limite para o uso destes perfis? Na verdade, não há limites, principalmente com as atuais leis brasileiras onde ainda prevelace o desconhecimento ou o descaso pelo assunto. Então, baseados nesta "brecha", homens e mulheres dão asas à imaginação ao se tornarem pessoas totalmente adversas ao que a realidade mostra. Alguns se tornam mais fortes, outros demonstram intelectualidade (via google), há os que abusam de comentários maliciosos e, ainda, aqueles que fazem da vida das pessoas o assunto do momento. Entre fofocas, brigas, comentários, sexualidade e muito mais, a sensação que fica é a da impunidade, certo? Bem, se você concordou, lamento informar que está muito enganado. 
Atualmente, não há como se desvincular dos perfis sociais, principalmente se o assunto for a busca de um emprego, viagem ao exterior ou o simples pedido de adesão de uma pessoa a sua rede. 
Notícias recentes informam de casos cada vez mais estranhos: pessoas que são deportadas por declarações politicamente incorretas, empregos perdidos por conta de comentários ou comunidades consideradas agressivas ou impróprias, prisões feitas com base em fotos publicadas e até separações com base em amizades entre ex-amantes. Os casos são cada vez mais comuns e acabam ganhando até um certo tom cômico, porém nem sempre as histórias acabam bem.
Quando alguém se associa a uma comunidade nazista, inevitavelmente deve ter consciência de que isso não será visto bem ao buscar contatos nas redes. As pessoas não gostam (mesmo os que secretamente o fazem) dos nazistas, dos pedófilos, de ladrões, dos "posers", dos racistas e de muitos outros rótulos depreciativos. Então, com base no dito anteriormente, o certo seria não encontrar mais estes perfis possuidores de tais características, certo? Novamente, lamento informar que está errado. Há inúmeros perfis (falsos ou não) de pessoas que se vangloriam de ter estas características ou estar associadas ao "lado negro da força", confiantes em uma anonimato que não existe. Uma simples busca e eles estarão à nossa frente.
Mas enquanto o indivíduo prejudica apenas a si mesmo, o problema não é tão grande. Infelizmente, sempre haverá - pelo menos enquanto nada for feito para punir - quem divulgue fotos, espalhe boatos ou prejudique outros pelo simples prazer de ver a desgraça se espalhar. Também ainda existem pessoas que transformam o facebook e o twitter em um diário virtual. Locais em que estão ou irão, pessoas com as quais convivem, traições, números de telefone, endereço... informações que não deveriam estar disponíveis, capazes de identificar comportamento e rotina do usuário. Com base nisso, criminosos cometem sequestros e roubos, pois as vítimas dizem tudo o que é necessário para ajudar na prática do delito. 
Não vou esticar muito o assunto, porém quero evidenciar a gravidade do excesso de exposição via perfis sociais. Não é só sua intimidade que pode correr riscos por conta da vaidade, do vício ou das brincadeiras. Sua vida e a das pessoas que ama estão sob constante vigilância e, munidos de tantas informações pertinentes, indivíduos de péssima índole podem chegar até vocês. Continuem a publicar, mas tenham ao menos um pouco mais de cautela e sabedoria sobre o que disponibilizam. Vocês realmente conhecem quem os seguem?
#Ficadica

Os livros mais vendidos. Via revista Veja.


Os livros mais vendidos

/ 27 de junho de 2012. Fonte: Revista VEJA
FICÇÃO NÃO FICÇÃO AUTOAJUDA E ESOTERISMO
 1
A Escolha
Nicholas Sparks [1 | 6] NOVO CONCEITO
 1
Para Sempre
Kim e Krickitt Carpenter [1 | 14] NOVO CONCEITO
 1
Agapinho - Ágape para Crianças
Padre Marcelo Rossi [1 | 11] GLOBO
 2
O Filho de Netuno
Rick Riordan [2 | 7] INTRÍNSECA
 2
Guia Politicamente Incorreto da Filosofia
Luiz Felipe Pondé [2 | 9] LEYA BRASIL
 2
Ágape
Padre Marcelo Rossi [3 | 93] GLOBO
 3
A Guerra dos Tronos
George R. R. Martin [6 | 57#] LEYA BRASIL
 3
Uma Breve História do Cristianismo
Geoffrey Blainey [5 | 8#] FUNDAMENTO
 3
O X da Questão
Eike Batista [5 | 26] PRIMEIRA PESSOA
 4
Jogos Vorazes
Suzanne Collins [7 | 15#] ROCCO
 4
Getúlio 1882-1930
Lira Neto [4 | 4] COMPANHIA DAS LETRAS
 4
Nietzsche para Estressados
Allan Percy [4 | 46#] SEXTANTE
 5
O Prisioneiro do Céu
Carlos Ruiz Zafón [3 | 3] SUMA DE LETRAS
 5
30 Minutos e Pronto
Jamie Oliver [6 | 6] GLOBO
 5
Desperte o Milionário Que Há em Você
Carlos Wizard Martins [2 | 6#] GENTE
 6
Um Homem de Sorte
Nicholas Sparks [5 | 17#] NOVO CONCEITO
 6
Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil
Leandro Narloch [3 | 124#] LEYA BRASIL
 6
O Poder dos Quietos
Susan Cain [6 | 5] AGIR
 7
O Festim dos Corvos
George R. R. Martin [9 | 20] LEYA BRASIL
 7
Steve Jobs
Walter Isaacson [0 | 30#] COMPANHIA DAS LETRAS
 7
É Tudo Tão Simples
Danuza Leão [7 | 29] AGIR
 8
Em Chamas
Suzanne Collins [0 | 12#] ROCCO
 8
Mentes Ansiosas
Ana Beatriz Barbosa Silva [10 | 34] FONTANAR
 8
O Monge e o Executivo
James Hunter [10 | 373#] SEXTANTE
 9
Branca de Neve e o Caçador
Lily Blake, Evan Daugherty, John Lee Hancock e Hossein Amini [4 | 2] NOVO CONCEITO
 9
O Livro da Filosofia
Vários [7 | 18#] GLOBO
 9
A Vida Sabe o que Faz
Zibia Gasparetto [0 | 38#] VIDA & CONSCIÊNCIA
 10
O Melhor de Mim
Nicholas Sparks [0 | 11#] ARQUEIRO
 10
Guia Politicamente Incorreto da América Latina
Leandro Narloch e Duda Teixeira [9 | 23#] LEYA BRASIL
 10
A Parisiense
Ines de la Fressange [9 | 21#] INTRÍNSECA
 11
A Esperança
Suzanne Collins | ROCCO
 11
Memórias de Uma Guerra Suja
Cláudio Guerra, Marcelo Netto e Rogério Medeiros | TOPBOOKS
 11
Meu Jeito de Dizer que Te Amo
Anderson Cavalcante | GENTE
 12
A Tormenta de Espadas
George R. R. Martin | LEYA BRASIL
 12
Mentes Perigosas
Ana Beatriz Barbosa Silva | FONTANAR
 12
Os Segredos dos Casais Inteligentes
Gustavo Cerbasi | SEXTANTE
 13
O Colecionador de Lágrimas
Augusto Cury | PLANETA
 13
Anderson Spider Silva
Anderson Silva | PRIMEIRA PESSOA
 13
A Arte da Guerra
Sun Tzu | VÁRIAS EDITORAS
 14
A Fúria dos Reis
George R. R. Martin | LEYA BRASIL
 14
1808
Laurentino Gomes | PLANETA
 14
Os Segredos da Mente Milionária
T. Harv Eker | SEXTANTE
 15
Apaixonados - Histórias de Amor de Fallen
Lauren Kate | GALERA RECORD
 15
Mundo Singular
Ana Beatriz Barbosa Silva | FONTANAR
 15
Receber com Charme
Renata Rangel e Cláudia Pixu | GLOBO
 16
Querido John
Nicholas Sparks | NOVO CONCEITO
 16
A Cozinha Rápida de Ana Maria Braga
Ana Maria Braga | AGIR
 16
O que Realmente Importa?
Anderson Cavalcante | GENTE
 17
Diário de uma Paixão
Nicholas Sparks | NOVO CONCEITO
 17
A Carne e o Sangue
Mary Del Priore | ROCCO
 17
Casais Inteligentes Enriquecem Juntos
Gustavo Cerbasi | GENTE
 18
O Pequeno Príncipe
Antoine de Saint-Exupéry | AGIR
 18
Paris - A Festa Continuou
Alan Riding | COMPANHIA DAS LETRAS
 18
Mulheres Inteligentes, Relações Saudáveis
Augusto Cury | ACADEMIA DE INTELIGÊNCIA
 19
Um Amor para Recordar
Nicholas Sparks | NOVO CONCEITO
 19
1822
Laurentino Gomes | NOVA FRONTEIRA
 19
Por que os Homens Amam as Mulheres Poderosas?
Sherry Argov | SEXTANTE
 20
A Última Música
Nicholas Sparks | NOVO CONCEITO
 20
Nas Entrelinhas do Horizonte
Humberto Gessinger | BELAS LETRAS
 20
Amo Você!
Paula Ramos | PANDA BOOKS
[A|B#] – A] posição do livro na
semana anterior
B] há quantas semanas o livro
aparece na lista
#] semanas não consecutivas


Fontes: Balneário Camboriú: Livrarias Catarinense; Belém: Laselva; Belo Horizonte: Laselva, Leitura; Betim: Leitura; Blumenau: Livrarias Catarinense; Brasília: Cultura, Fnac, Laselva, Leitura, Nobel, Saraiva; Campinas: Cultura, Fnac, Laselva, Leitura; Campo Grande: Leitura; Caxias do Sul: Saraiva; Curitiba: Fnac, Laselva, Livrarias Curitiba, Saraiva; Florianópolis: Laselva, Livrarias Catarinense, Saraiva; Fortaleza: Cultura, Laselva, Saraiva; Foz do Iguaçu: Laselva; Goiânia: Leitura, Saraiva; Governador Valadares: Leitura; Ipatinga: Leitura; João Pessoa: Leitura, Saraiva; Joinville: Livrarias Curitiba; Juiz de Fora: Leitura; Jundiaí: Leitura; Londrina: Livrarias Porto; Maceió: Laselva; Mogi das Cruzes: Saraiva; Navegantes: Laselva; Petrópolis: Nobel; Piracicaba: Nobel; Porto Alegre: Cultura, Fnac, Livrarias Porto, Saraiva; Recife: Cultura, Laselva, Saraiva; Ribeirão Preto: Paraler, Saraiva; Rio de Janeiro: Argumento, Fnac, Laselva, Saraiva, Travessa; Salvador: Saraiva; Santa Bárbara d’Oeste: Nobel; Santo André: Saraiva; Santos: Saraiva; São Paulo: Cultura, Fnac, Laselva, Livrarias Curitiba, Livraria da Vila, Martins Fontes, Nobel, Saraiva; Sorocaba: Saraiva; Vila Velha: Saraiva; Vitória: Laselva, Leitura; internet: Cultura, Fnac, Laselva, Leitura, Nobel, Saraiva, Submarino

Dica de leitura: Livros debatem a existência ou não de Deus.


por Renato Pompeu. Fonte: Carta Capital
Uma das mais antigas perguntas que os seres humanos se fazem encontra 20 preciosas respostas nesta caixa de dois caprichados volumes. A partir de uma ideia notável do professor universitário de Filosofia Plínio Junqueira Smith, doutor pela USP e com pós-doutorado em Oxford, um dos volumes apresenta dez provas da existência de Deus, formuladas ao longo dos séculos por Aristóteles, Cícero, Sexto Empírico, Agostinho, Anselmo, Tomás de Aquino, Descartes, Malebranche, Berkeley e Hume. O outro volume apresenta dez provas da inexistência de Deus, por Bayle, Diderot, Meslier, Kant, Feuerbach, Nietzsche e Faure, além de Sexto Empírico, Cícero e Hume, que, antecedendo Junqueira Smith, apresentaram provas tanto da existência quanto da inexistência de Deus.
Curiosamente, a prova mais antiga na coletânea da existência de Deus, do século IV a.C., não tem conteúdo religioso, mas rigorosamente racional e científico. É de autoria de Aristóteles, que constata estar tudo em permanente movimento no mundo, devendo existir, portanto, um primeiro motor que dá origem a todo esse movimento. A esse primeiro motor, Aristóteles intitula Deus. Já Santo Anselmo, no século XI, defende a tese de que, no universo, deve existir algo maior do que tudo, não sendo possível conceber alguma coisa maior do que essa outra que é a maior. Esse maior do que tudo é Deus.
É curioso que as provas da inexistência de Deus sejam todas filosóficas, não havendo nenhuma proveniente da observação do mundo material, como fez Aristóteles para provar que Deus existe. As provas mais importantes da inexistência de Deus são, significativamente, oriundas do Iluminismo do século XVIII. Diderot postula que um Deus perfeito não poderia ter criado um mundo tão imperfeito. Já Kant defende que Deus é apenas um postulado da razão pura, uma simples ideia, não podendo de modo nenhum ser afirmada a sua existência fora do pensamento puro.Fazendo um balanço dos dois tipos de respostas, o que se pode dizer é que, para quem tem fé, Deus existe. Para quem não tem fé, Deus não existe. Não se pode provar que Deus existe. Aquilo que podemos provar existente, mais cedo ou mais tarde será algo que poderemos mudar por nossas ações sobre esse algo, e isso inequivocamente mostraria que esse algo não é Deus. Por outro lado, também não podemos provar que Deus não existe, mesmo porque pode haver seres mais inteligentes do que nós em planetas de outras galáxias, que podem ser onipotentes, oniscientes e, até mesmo, onipresentes.

Dez provas da existência de Deus
Org. Plínio Junqueira Smith, Alameda, 304 págs., R$ 40
Dez provas da inexistência de Deus
Org. Plínio Junqueira Smith, Alameda, 344 págs., R$ 45

Franz says: Ainda que eu não esteja plenamente a par do conteúdo dos livros, cabe ressaltar que os filósofos, pensadores e religiosos responsáveis pelos textos são referência em todo o mundo, o que já traz mais um referencial de qualidade, um incentivo à leitura dos livros. 
No entanto, crendo ou não na existência de Deus, a leitura ganha maior impacto nos dias atuais, principalmente se levarmos em conta o número crescente de conflitos que usam o pretexto religioso - a ordem de Deus - para impor suas vontades ou oprimir os fracos. 
Acreditando ou não em um Deus, estes livros valem a leitura pelo simples fato de incentivarem um debate muito interessante.


Jogador negro é comparado a King Kong


Fonte: Carta Capital.
Em cima do Big Ben jaz Mario Balotelli, o atacante da equipe italiana de futebol. Ele não desfere bofetadas em aviões como King Kong no topo do arranha-céu novaiorquino Empire State Building, mas chuta bolas de futebol.
É o que vemos na inoportuna caricatura de Valerio Marini na edição de terça-feira do diário italiano Gazetta dello Sport.
Segundo Marini, a ideia era mostrar Balotelli, que joga pelo Manchester City, a dominar a equipe inglesa nas quartas de final da Eurocopa, ou Copa da UEFA, a competição entre clubes europeus. Isso no domingo, em Kiev, quando os italianos venceram os ingleses nos pênaltis.
Marini não convence.
E nem os editores do Gazetta dello Sport, diário de maior tiragem da Bota. Eles publicaram as seguintes linhas: “Nesses tempos precisamos ser mais cautelosos e moderados, mas sempre lutamos contra o racismo, sempre julgamos inaceitável quando Balotelli é vaiado”.
No entanto, Marini e o diário sequer pediram desculpas a Balotelli pela infeliz caricatura.
Balotelli, nascido em Palermo e adotado aos dois anos por uma família italiana, é o primeiro jogador negro da equipe nacional italiana. Costuma provocar controvérsia por onde passa, mas ao mesmo tempo esse filho de pais biológicos ganenses é sempre vítima de ataques racistas.
Na primeira vez em que adentrou o campo com uma camisa da equipe nacional italiana num jogo contra a Romênia leu numa faixa: “Não para um time multiétnico”.
Na Eurocopa torcedores espanhóis e croatas fizeram imitações de macaco ao ver Balotelli. Um croata jogou uma banana em campo.
Balotelli avisou antes do evento que sairia de campo se fosse vítima de ataques racistas. Michel Platini, presidente da União das Federações Europeias de Futebol (UEFA, na sigla em inglês), retrucou: “Se ele fizer isso receberá cartão amarelo”.
Platini deixou transparente que o racismo não será erradicado do futebol europeu.

Por: José Antonio Lima

Franz says: o mais interessante neste caso é que a torcida "urra" o nome do jogador caso ele faça um gol. Racismo é algo inaceitável, apesar de ser uma constante no cotidiano de muitos por todos os continentes. 
A charge foi algo de péssimo gosto. Associar um negro à figura de um gorila - mesmo que para fazer humor - é um ato extremamente idiota. Não há graça, principalmente se lembrarmos que esta associação sempre foi feita com intuito de ofender, humilhar os negros. Imperdoável.
Quanto à declaração de Platini, resta-nos delegar o desprezo para um indivíduo que não luta para acabar com estas demonstrações de racismo e intolerância. Diferentes são os que tentam apontar defeitos em outras pessoas. 
Espero que um dia este tipo de notícia seja apenas uma mancha negra na história, legado ao esquecimento...

Promoção - “Alma de detetive”


Saudações, caros leitores! Hoje o Policial da Biblioteca e o Apogeu do Abismo se unem em uma promoção sensacional para premiar um de nossos queridos leitores que ame se aventurar por letras cheias de mistérios e mortes em circunstâncias que nos fazem olhar pelos cantos dos olhos e pensar: “Será que aquele vulto foi somente minha imaginação?” Isso mesmo, leitores, estamos falando do suspense! Esse irmão gêmeo do terror e que às vezes, devido à semelhança, acaba nos deixando na dúvida se é ele mesmo ou o seu irmão. Os prêmios serão: o livro “Ponto Cego” do escritor Felipe Colbert e o livro “Quinze Dias em Setembro” de Ryoki InoueQuerem saber um pouco mais sobre os prêmios? Hummm, isso aponta que são verdadeiros detetives, pois em uma investigação temos sempre que valorizar cada informação, me acompanhem, serei o informante.
 
Ponto Cego:
 
Felipe Colbert (autor): Felipe Colbert é autor de dois livros e especialista em estruturação de romances. Possui trabalhos publicados no Brasil e na Europa. Estreou na literatura em 2008 com a obra policial “A Entrevista Ininterrupta”, publicada por uma das editoras mais conceituadas de nosso país: Novo Século, a mesma que possui em seu catálogo grandes autores como André Vianco (Os Sete), Richard Matheson (Eu Sou a Lenda, Hell House – A Casa Infernal), Richard D. Weber (O Código de Salomão), entre outros. O livro foi destaque em diversos meios de comunicação como TV (Vitrine do Domingão do Faustão), rádio (Transamérica FM) e internet (TV UOL).
Atualmente, além de escrever e publicar seus livros, se dedica a trabalhar textos ficcionais de novos escritores. Com visão profissional e ímpar, tem como meta potencializar a possibilidade de publicação destas obras. Dentre as funções adquiridas, as de parecerista crítico e coach, utilizando-se de técnicas internacionais de estruturação de textos.
O autor também é presente em palestras, organiza workshops e é membro fundador da República dos Escritores. Carioca, vive na cidade de São Paulo com esposa e filho.
Seu novo thriller, “Ponto Cego”, é o primeiro projeto publicado em Portugal. Seu lançamento no Brasil ocorreu em maio de 2012. 
 
Ponto Cego (sinopse): Um ano após o acidente que interrompeu a gravidez de Nilla e sentindo-se culpado pela iminente separação, o repórter Daniel Sachs recebe um pedido de socorro escondido em um objeto e descobre que sua ex-mulher desapareceu em Veneza durante a cobertura de um show de ilusionismo. Seguro de que é o único que pode ajudá-la, ele parte em busca do resgate da fotógrafa e, consequentemente, a correção de todo passado. Porém, pistas misteriosas dão indícios de que o desaparecimento de Nilla possa estar ligado a um novo tipo de comércio ilegal na cidade – a produção de filmes snuff. Ao solicitar ajuda ao investigador Giuseppe Pacino, Daniel passa a ser perseguido e a ter sua vida ameaçada por um impiedoso criminoso. A situação piora quando eles ficam sabendo que Lorenzo Oro, um ilusionista cego de grande prestígio na Europa e dono de habilidades surpreendentes, foi a última pessoa a conversar com Nilla antes de seu desaparecimento. Incerto das próxima ações, Daniel enfrentará uma série de obstáculos e revelações imprevisíveis até chegar ao clímax arrebatador: a decisão de permitir ou não que seu corpo seja controlado por outra pessoa para salvar a mulher que ainda ama. 
 
Quinze Dias Em Setembro:
 
Ryoki Inoue (autor): José Carlos Ryoki de Alpoim Inoue é um escritor brasileiro de ascendência portuguesa e japonesa.
 
Formado em Medicina pela USP em 1970, deixou-a em 1986 em favor da profissão de escritor de livros de bolso, chegando a escrever 1.086 livros usando 39 pseudônimos por exigência dos editores.
 
Foi laureado pelo Guiness Book of Records como o escritor mais prolífico do mundo. Autor de mais de 1079 títulos, dos quais se destacam os romances O Fruto do Ventre, Quinze dias em setembro, E agora, Presidente, A Bruxa e Saga.
 
 
Quinze Dias em Setembro (sinopse): O livro mais famoso do mais prolífico escritor do mundo (consta no Guiness) conta a seguinte história:
Fefê é um playboy paulistano. Donovan e Steinberg são investigadores do FBI. Amina é médica. Samira sonha em ser modelo. Mathew e Natalie são jornalistas. Hafez, Mohamed e Ibrahim são religiosos extremistas. O que todos têm em comum? Suas vidas se encontram por causa de um único evento: o ataque terrorista às Torres Gêmeas do World Trade Center.
Com uma narrativa que transcorre simultaneamente em São Paulo e Nova York, “Quinze dias em setembro” possui uma trama repleta de ação, suspense e reviravoltas.
 
Agora vocês devem estar se perguntando: “Mas o que devemos fazer para concorrer aos prêmios?” Além das regras expostas no início do post, vocês precisam escrever um conto de suspense ou terror de no máximo 1000 palavras, o que deve dar em torno de três páginas. O ganhador, além de receber os prêmios acima citados, terá o seu conto publicado nos blogs organizadores da promoção com os devidos créditos. Optamos por organizar a promoção assim também para incentivar a escrita entre os nossos leitores, pois sabemos o quanto às vezes um escritor anônimo precisa de incentivo para realmente iniciar o seu sonho. Qualquer pessoa poderá participar e não importa se você nunca escreveu, deixe a sua imaginação livre e permita que mistérios ganhem vida! Os contos devem ser enviados para o seguinte e-mail: policialdabiblioteca@gmail.com com o assunto “Conto – Promoção”. Não se esqueçam de mandar no corpo do e-mail os seguintes dados: nome e twitter ou facebook.

Regras:

Observações:

  • O ganhador receberá os dois livros.
  • Depois do final da promoção a banca avaliadora terá cinco dias para julgamento.
  • Plágio será desclassificado imediatamente.
  • Os trabalhos podem ter como tema suspense ou terror.
  • O ganhador será contatado por e-mail e terá 48 horas para responder.
  • Ficaremos gratos àqueles que divulgarem a seguinte frase no twitter:
Com @PolBiblioteca e @Apogeudoabismo e os livros "Ponto Cego" e "Quinze Dias em Setembro" seguirei a pista do suspense: http://migre.me/9FTBD

  • A divulgação da frase não é obrigatória, porém achamos que é um modo dos participantes demonstrarem o interesse em ganhar.
  • A promoção começa hoje (28/06) e vai até o dia 21 de Julho.

Os textos devem seguir estes formatos:
  • Fonte: Times New Roman 
  • Tamanho: 12 
  • Espaçamento: Simples 
  • P.S: Os textos devem ser originais, plágios serão desclassificados. Os contos podem ter sido já publicados na internet.
Desejamos boa sorte a todos! Que as investigações comecem!
 
 
 

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Hungria baixa idade penal para 12 anos em casos de crimes graves


O Parlamento húngaro aprovou uma reforma do Código Penal, nesta segunda-feira (25), que baixa a idade penal de 14 para 12 anos em casos de crimes contra a vida e a integridade física. A informação é da Agência EFE.
A nova legislação, aprovada com os votos dos deputados do partido conservador Fidesz, entrará em vigor a partir de 2013, informou a imprensa local hoje.
O escritório local do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) reprovou a decisão do parlamento húngaro. Em comunicado, a organização diz que a Hungria “viola gravemente o Acordo de Direitos de Menores da ONU”.
Dez organizações civis também protestaram contra a aprovação da lei, segundo o site húngaro Politics.hu. Para elas, o fato de a medida responsabilizar crianças sem qualquer tipo de assistência ou reabilitação é “cínico, perigoso e coloca em risco o futuro delas”.
Segundo a legislação, as crianças a partir de 12 anos poderão ser condenadas com máximo de quatro anos de internamento em centros específicos para menores.
O novo código também endurece a lei contra injúrias aos símbolos nacionais, como a chamada “Santa Coroa”, que foi usada pelos reis húngaros e ainda hoje é considerada um símbolo da história da Hungria pela direita e pelos nacionalistas, apesar do país ter se tornado uma República em 1918. Essa modificação, que se une à proteção ao hino, à bandeira e ao escudo nacionais, foi proposta pelo partido ultranacionalista Jobbik e respaldada pelo Fidesz.
Amanda Polato

Franz says: em uma sociedade onde os direitos e a igualdade são pregadas como regras, deve-se também ter atenção aos delitos de menores. Muitos cometem crimes ou assumem atos ilícitos de adultos por terem a garantia de "imunidade" na condição de menores. Não vou pregar a crucificação destes infratores (alguns assassinos frios), mas não há como negar que é urgente a questão de uma melhor avaliação do problema. Assumir a responsabilidade por seus atos é o primeiro passo para a busca de correção e justiça. 
A ONU e a Unicef tem uma visão privilegiada. Seus escritórios são climatizados, o alimento é abundante e a violência - em sua maioria - é vista pela tela da TV ou do computador. Relatórios chegam em grande quantidade e estatísticas são avaliadas, porém não há a perda na vida dos que defendem a impunidade dos menores matadores, não há um membro da Unicef ou da ONU que fique ao lado do leito de uma vítima que ficou paralítica por ter tomado um tiro. Os menores infratores recebem tratatamento diferenciado por haver a preocupação com seus futuros... e o que dizer dos menores que tornaram-se órfãos por conta da impunidade e do destemor daqueles que tem na lei o maior dos escudos?
É preciso educar para não perder uma criança, um menor, para o crime. Contudo é preciso mostrar que a impunidade não ocorrerá para os que fazem da violência e da morte meios de ganhar aquilo que não possuem e que eles obtem à força.

←  Anterior Proxima  → Página inicial