{lang: 'en-US'}

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Star Trek: resenha do melhor Reboot dos últimos anos.


Por: Franz Lima.

A sensação de que algumas obras são definitivas não é incomum. Muitos são os defensores da manutenção de certos filmes, livros e outros produtos por conta do impacto que tiveram em uma geração, passando, inclusive, para outras que se seguem. Star Trek (Jornada nas Estrelas) é um desses exemplos. A franquia já teve muitas versões - ainda que algumas não tenham agradado tanto -, mas é inquestionável que a tripulação original (Kirk, Spock, Scotty e outros) foi a mais marcante. O carisma desses personagens ultrapassou décadas e angaria fãs até os dias atuais. E é esse mesmo carisma que me levou a olhar com desconfiança para o reboot de Star Trek, um novo filme onde seria "recontada" a origem e os primeiros dias da tripulação da USS Entreprise. 
O filme é de 2009 e eu levei quatro longos anos para dedicar um pouco de atenção à trama. Confesso: eu me arrependi. Me arrependi de ter esperado tanto tempo para conhecer uma obra tão primorosa. Agora, resta-me explicar o que torna o novo Star Trek tão bom.


Respeito à obra original.

Esse é um dos pontos a se destacar. A nova produção respeita de forma admirável o que foi idealizado por Gene Roddenberry. Tal como na série, temos personagens com grande carisma e interpretados de forma convincente por atores que, pelo que pude ver, entenderam a responsabilidade que lhes foi conferida. Cada um se encaixou de forma ímpar aos personagens e ao contexto da história, mantendo elos que seus antecessores criaram... ou melhor, melhorando-os.

Realidade alternativa.

Verdade seja dita, esse novo filme é ideal para antigos fãs e, logicamente, para os novos. A essência de Star Trek foi mantida, o que não impediu o diretor J. J. Abrams de adicionar elementos capazes de cativar um público mais novo e exigente. Star Trek tem ação, humor, efeitos especiais de primeira e, logicamente, uma narrativa bem similar àquela que vimos em outros filmes com James Kirk e sua tripulação. Mas, como todo bom fã, ainda havia a sensação de ausência de uma história que mostrasse os primórdios da equipe da Entreprise. Mesmo que um ou outro personagem não tenha recebido uma atenção tão grande quanto Spock, Kirk, Dr. McCoy, Uhura e Sulu, isso não minimiza o brilhantismo do roteiro feito por Roberto Orci e Alex Kurtzman. Eles, aliás, valeram-se da ideia de uma realidade alternativa para não ficarem restritos aos acontecimentos registrados nos outros filmes, o que proporcionou - a partir do segundo filme - uma maior liberdade para o diretor e os roteiristas.


Passado.

As origens ou parcelas do passado de alguns personagens são reveladas. Não acompanhei todos os episódios da série de TV e também não pude - ainda - ver todos os filmes da franquia, fatores que não me impedem de afirmar que foi feita uma abordagem nova e coerente sobre os principais tripulantes da Enterprise e os acontecimentos que levaram à formação dessa equipe. 
J. J. Abrams orquestrou um filme onde é possível perceber as motivações e as nuances que moldam o caráter de cada personagem. Os roteiristas obtiveram sucesso ao compor uma trama que mostra como pessoas tão diferentes puderam se unir.


Interpretações.

Não espere que haja uma cópia fiel dos personagens da consagrada série de TV. Há muitas semelhanças, porém foi garantida a cada um dos atores a liberdade de acrescentar detalhes que lhes facilitasse a interpretação e, principalmente, trouxesse maior credibilidade às cenas e à trama. 
Acompanhei diversos episódios da série original e, contrariando minha desconfiança inicial, pude ver e identificar trejeitos, ações e o caráter de cada um dos 'heróis'. Percebi, ainda, que a trama buscou homenagear cada um deles, mas também valorizar os novos atores que, com merecido talento, ganharam os corações dos fãs trekkers.


Spock e Kirk: antagonistas ou amigos?

Esse é um trunfo que J. J. Abrams usou magnificamente. As infâncias dos dois e os fatos que levaram seus destinos a se cruzar dão intensidade e verdade à narrativa, além de reforçar a simpatia dos espectadores por eles. Creio que a maioria dos leitores já saiba que indivíduos tão diferentes rendem ótimas passagens e, neste filme, não poderia ser diferente. Divergências à parte, a trama irá colocá-los em rota de colisão, mas esse confronto será extremamente positivo no futuro.

Ação e um roteiro bem elaborado podem coexistir?

Se você ainda não viu essa obra e tem em mente apenas as imagens e a ação dos filmes baseados na série de TV e, logicamente, nela propriamente dita, prepare-se para uma gratificante surpresa. 
Tudo aquilo que não pudemos ver durante os episódios e os filmes em função da limitação tecnológica, será mostrado nesse novo Star Trek. Planetas e criaturas alienígenas realistas, ação em doses corretas, uma nave mais próxima daquilo que nós, hoje, imaginamos e uma narrativa absolutamente cativante. 
Os méritos do passado não ficarão esquecidos, porém é inevitável olhar para essa nova obra e enxergar o quanto a tecnologia aprimorou um conceito bacana, transformando-o em uma verdadeira obra de arte.
A ação e o roteiro perfeito coexistem...

Star Trek vs Star Wars.

Inevitável comparar as duas franquias. São grandes obras que já contam com milhões de fãs por todo o mundo. Entretanto, esse novo Star Trek começou de forma muito positiva. Ao contrário da trilogia que se sucedeu aos filmes 4, 5 e 6 de Star Wars, essa versão nova de Jornada nas Estrelas obteve a inacreditável média de 8.1 no Rotten Tomatoes, com 89% de aprovação do público. 
Apesar de grandes sucessos, Star Trek parece estar no caminho correto, ao passo que Star Wars necessita de alguém que evite o deterioramento da obra. Será que J. J. Abrams será o nome que revitalizará Star Wars, tal como fez com Star Trek?




Inimigos.

Logo de início somos apresentados aos inimigos que irão marcar as vidas de Kirk e Spock: os Romulanos. Motivados por um problema que, teoricamente, ainda não aconteceu, os guerreiros provocam a morte de milhares e dão a motivação necessária para que pessoas tão diferentes como Jim Kirk e Spock se unam. O que parecia improvável acontece: eles são direcionados a um destino comum que nós, fãs da série, conhecemos bem.
O líder romulano é interpretado por Eric Bana e, com o decorrer do filme, há ocasiões onde o espectador terá raiva dele e, em outros, pena. Não criaram um vilão sem motivações. Nero é um personagem movido pela angústia da morte. Para ele, isso basta.

Trilha Sonora.

Michael Giacchino compôs as músicas que dão consistência às grandes cenas do filme. Fã da série original, Michael sentiu o peso da responsabilidade de dar uma nova trilha ao filme que prometia reiniciar a franquia e, como constatamos, obteve sucesso na empreitada. A orquestra com quase 150 pessoas trouxe o complemento que o filme merecia e manteve, inclusive, o tema original ao final da obra cinematográfica.

Continuação.

Star Trek teve uma continuação que, na minha opinião, é melhor que seu antecessor. Também dirigido por J. J. Abrams, o filme complementa e dá sequência de forma incorrigível à trama inicial, mantendo todo o respeito e, novamente, prestando singelas homenagens à série que deu origem a tudo.

Nota final.

Esse, repito, é um filme do qual me arrependo de não ter visto antes. Uma obra-prima da ficção científica, feito com muita pesquisa, dedicação dos atores e dos produtores, além de ser responsável pela revitalização de uma franquia que oscilou por alguns anos em função de filmes razoáveis. Mais do que isso, esse novo Star Trek tem o comprometimento de agradar aos fãs, os verdadeiros responsáveis pela longevidade de uma ideia e um ideal.
Um dos melhores filmes que vi até hoje... sinceramente.

Elenco:

Chris Pine - James T. Kirk
Zachary Quinto - Spock
Leonard Nimoy - Spock original
Karl Urban - Leonard McCoy
Zoë Saldaña - Nyota Uhura
Simon Pegg - Montgomery Scott
John Cho - Hikaru Sulu
Anton Yelchin - Pavel Chekov
Eric Bana - Nero
Bruce Greenwood - Capitão Christopher Pike
Ben Cross - Sarek (pai de Spock)
Winona Ryder - Amanda Grayson (mãe de Spock)


Anthony Misiano e sua performance como um incrível cosplay do Coringa (Joker)



Fonte: Harley´s Joker Facebook


Anthony Misiano é um cosplayer muito conhecido e respeitado por sua performance como o vilão assassino Coringa, o arquiinimigo do Batman. Conhecido como Harley Joker na web, Anthony ganha mais destaque a cada dia. Saibam agora os motivos para tanto sucesso desse grande cosplayer.
Visivelmente, a inspiração de Anthony para compor seu personagem é a versão do Coringa em 'A Piada Mortal', a famosa graphic novel escrita por Alan Moore e desenhada por Brian Bolland.














Joker in The killing joke


domingo, 29 de setembro de 2013

Divulgação... The King: antologia em homenagem ao mestre Stephen King.


Antologia de contos em tributo ao mestre do terror Stephen King. Com a participação de uma história original de Fabio Mourão (Maldito), criador do blog Dito pelo Maldito.


"Essencial para os fãs de Stephen King, obrigatório para os aficionados por terror, The King chega para enriquecer o gênero nascido para despertar o medo nas pessoas. Nos dois volumes dessa antologia estão presentes quarenta e quatro contos de autores espalhados pelo Brasil. São textos que causam calafrios e inquietação, que tiram o sono e que suscitam aquelas dúvidas que ficam normalmente adormecidas em uma zona de conforto de nossas consciências.
Pessoas normais em situações extremas e inexplicáveis; o suspense sobrenatural que nos faz pensar a respeito do que vem depois da morte; o terror que fica escondido nas entrelinhas e que provoca paranoia; a violência explícita e grotesca de criaturas que habitam o nosso imaginário e que ninguém pode assegurar que não existem; a verdade nua e crua a respeito da perversão humana; The King é um verdadeiro museu de horrores, criado por autores que entendem o que é o medo e que conseguem reproduzir a sua essência em estórias insanas e imprevisíveis. 
O que poderia ser mais uma antologia de terror virou um verdadeiro tributo ao gênero. Organizado por Afobório e por Jeremias Soares, tornou-se algo tão grandioso que veio ao mundo em dose dupla. Um livro que servirá de referência. Enfim, item obrigatório para qualquer prateleira."

Compre através do seguinte link: Paiol do Mal

Acabamento : Brochura
Número de Paginas : 144
Editora: Anthology/Multifoco

Por amor ao filho, pais se fantasiam como 'Os Incríveis' e ajudam a combater o câncer


Definitivamente, os pais que realmente amam seus filhos são capazes de qualquer coisa por eles. Agora, eleve esse amor a uma potência incalculável quando esses filhos apresentam qualquer tipo de problema. Pais dão a vida por sua prole, sacrificam-se e estão ao lado dela, não importa o que aconteça. São apoiadores em tempo integral... 
Uma bela prova do que estou dizendo foi noticiada recentemente pelo R7. A história é muito bonita e envolve um casal e seu filho, atualmente em tratamento de câncer. Para tentar minimizar o sofrimento do filho, o pai, Octávio Fernandes, compareceu a uma das sessões de quimioterapia fantasiado de Sr. Incrível, um dos personagens que o garotinho ama. O resultado foi uma maior colaboração do menininho diante do desgastante processo da quimioterapia, inclusive na coleta do sangue. A felicidade e a coragem dele também aumentaram quando recebeu uma fantasia igual à do pai (o filho dos Incríveis se chama Flecha). 
Em outra visita, o garoto ficou ainda mais feliz quando, de surpresa, viu a mãe fantasiada (Mulher Elástica). Paula Silva de Carvalho, que resistiu inicialmente, amou a reação do filho e repetiu o feito:
— Ele que motiva a gente, ele quem tem energia e passa essa garra. Criança nenhuma deveria passar por isso.
Diagnosticado com leucemia linfoide aguda, doença mais comum em crianças, há grandes possibilidades de cura, ampliadas com o apoio da família. Essencialmente, esses pais estão mantendo acesa a chama do sonho que toda criança precisa ter.
Grande exemplo. Parabéns a eles pela bonita e emocionante iniciativa. Que o Paulilnho se cure e viva muito para compreender plenamente o que seus pais fizeram.
O vídeo com a reportagem completa está aqui para que vejam e entendam a magnitude do que aconteceu:




sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Dexter: a série completa estará disponível em Blu-ray no exterior em box de luxo. E aqui?


Fonte: Collider.

A aclamada série televisiva 'Dexter' terá sua versão definitiva em Blu-ray à venda nos EUA a partir de 12 de novembro. Com preços que variam entre 260 e 381 dólares, os boxes especiais tem visual inspirado no tema 'Serial Killer'. Há duas versões dessas edições de luxo que contêm as oito temporadas. Será que teremos esse privilégio também aqui no Brasil?
Mesmo em uma época onde o download é uma realidade incontestável, sei que os verdadeiros fãs irão adquirir essa linda coleção. Divulguem a notícia e incentivem a vinda do produto para cá...

Versão de luxo com visual igual à caixa de lâminas de Dexter
Conteúdo do box no formato da caixa de lâminas de vidro ou no formato do busto com rosto sangrando:

Todas as 8 temporadas, livro de arte exclusiva e um disco bônus com conteúdo extra sobre a série e o assassino. Tudo em uma caixa de slides colecionável, inspirada naquela que o próprio Dexter usa para catalogar suas vítimas! Junte-se ao seu serial killer favorito em todas as oito temporadas da série do Showtime vencedora do Emmy ® e Golden Globe®. A coleção em Blu-ray terá 25 discos com todos os episódios e o disco bônus com mais de 3 horas de especiais, incluindo: 
 
         Entrevistas com o elenco;
         Behind-the-Scenes, Featurettes e Promos;
         A evolução de Dexter - Documentário; e
         O Código de Conduta de Dexter.
A Coleção em Blu-ray também virá com um livro Grafix, exclusivo, com arte e fotografia de todas as oito temporadas de Dexter



Nota: o site Collider ganha uma taxa de referência pequena quando seus leitores compram algo na Amazon através de um dos links. O dinheiro gerado ajuda a pagar os funcionários e manter o site funcionando. Leiam e apoiem o Collider. 
O link no início do post direciona para o site, onde estão os links de compra.

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Série 'Túnel do Tempo'. A Metamorfose: esculturas fazem referência à obra de Kafka


Fonte: G1

Algumas coisas acabam se perdendo com o tempo, tamanha é a dinâmica da internet... Mas, através desta seção Túnel do Tempo, vou buscar trazer-lhes algumas curiosidades que o tempo quis esconder.

Esculturas do artista Roberto Fabelo foram expostas em uma fachada de prédio no ano de 2009. Até aí, nada de mais. O que chamou a atenção, realmente, foi o fato de que as esculturas tinham a forma de baratas gigantes. Nada de mais até aí? Então, para atrair sua atenção, o autor expôs as baratas com cabeças humanas, numa clara referência ao clássico literário 'A Metamorfose', de Franz Kafka.



A arte da ilustradora Samantha Mash.


A ave aguarda os resquícios da morte.


O sentimento de ser um estranho dentro de sua cidade natal, Palo Alto, Califórnia, foi o que primeiro incentivou a busca de Samantha Mash pela ilustração. Samantha atualmente trabalha como ilustradora, cartunista e designer. Seu trabalho reflete seus interesses ao longo da vida em estruturas esqueléticas, simbolismo, fantasia arcaica, a ciência, o sobrenatural e morte. Trabalhando em torno desses fascínios, Samantha cria peças que se concentram em imperfeições e falhas dentro de figuras idealizadas e formas.
Atualmente morando em Portland, Oregon, onde participou do Pacific Northwest College of Art, lugar onde obteve o Bacharelado em Belas Artes (BFA, em inglês). Ela vive com seu gato Seti e gasta seu tempo extra recolhendo bugigangas e sobrevivendo sem o café descafeinado. Ela continua a prosseguir os trabalhos ilustrando para publicação, histórias em quadrinhos, animação e design de vestuário.


Percebi que a artista aplica seus conhecimentos em ilustração com maestria. Há o uso de cores sem o excesso tão comum hoje em dia e, creio, também foi aplicado o uso de metáforas através dos desenhos. Solidão, morte, vida pós-morte, costumes, nudez e uma certa crítica social estão embutidos em cada um de seus trabalhos, porém sempre se valendo de uma certa discrição. Não há necessidade de chocar se, sutilmente, Samantha obtém o mesmo resultado.

Presa em si.

Alguém decifrou?

Apogeu do Abismo.

Bela representação da tristeza... lágrimas de sangue.

Submersa, nua, amputada e ferida.

Sereia e geometria

A luz subindo e a alma que insiste em permanecer...

A ausência de um rosto indicaria timidez?

Beleza feminina: alusão à Medusa
Contatos com a artista:
Tumblr
Linkedin 
Twitter 
Facebook


quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Trailer de 'Uma noite de crime'. Quando o caos é permitido...


O trailer sugere que os EUA estão sob uma utópica paz. Não há crimes e assassinatos durante o ano, exceto em um dia específico onde, com concessão do governo, todos tem permissão para cometer qualquer delito, inclusive matar. Serviços médicos, polícia e qualquer outro recurso que possa ajudar a amenizar esse caos são desativados. É a absoluta anarquia mesclada ao caos inimaginável.
Gostou da premissa? Então, curta agora o trailer.



Jim Lee e os fantásticos automóveis da Kia inspirados na Liga da Justiça.



Fonte: Jim Lee.
O consagrado desenhista Jim Lee foi um dos destaques da Comic-Con 2013. Além de suas belas ilustrações, o artista também foi convocado para estampar em um automóvel da Kia os personagens da Liga da Justiça. O veículo ficou absurdamente lindo, mas também foram mostrados outros carros-conceito com temática inspirada nos heróis da DC. Confiram cada uma das imagens e vamos torcer para que algum fã adquira uma dessas obras de arte e transite por nossas ruas. Será legal demais ver um verdadeiro batmóvel circulando por aí...













←  Anterior Proxima  → Página inicial