{lang: 'en-US'}

domingo, 30 de março de 2014

Uma semana cheia de lançamentos em quadrinhos e mangá. Via Panini.



Destaque da semana:Fashion Beast: A Fera da Moda

Avatar
Uma obra de arte perdida de Alan Moore ganha vida na forma dessa incrível série em quadrinhos depois de quase três décadas! Os anos de 1980 foram um período impressionantemente brilhante na carreira de Moore, pois foi nessa época que ele criou histórias geniais como Miracleman, Watchmen… e Fashion Beast: A Fera da Moda! Trabalhando com Malcolm McLaren (mais conhecido por ter sido empresário da banda Sex Pistols), Moore dedicou sua atenção para recontar o clássico A Bela e a Fera por meio do seu olhar imaginativo.
Doll está insatisfeita com sua vida de recepcionista de guarda-volumes em uma boate. Mas, quando é demitida do trabalho e se iniciam os testes para modelo de um recluso estilista, um caminho de glamour que ela sempre sonhou se abre à sua frente. Mas nem tudo são rosas; logo ela descobrirá que o salão de Celestine é tão disfuncional quanto as roupas que as classes menos abastadas vestem em seu distópico mundo.
Originalmente publicado em:

Fashion Beast 1-10 

Detalhes da edição

» 17 x 26 cm
» 276 páginas
» Capa Cartão
» Lombada Quadrada
» Papel LWC
» Publicação Especial
» Preço: R$ 29.90
» Distribuição Setorizada
Divulgado no boletim 85


A Era de Ultron 2

Marvel Comics
Luke Cage nocauteia a Mulher-Hulk e tenta usá-la para barganhar com Ultron, mas o robô que ele encontra no covil do vilão não é exatamente quem ele esperava, e a situação se degringola rapidamente! E, aproveitando a distração criada por Cage, os Vingadores tentam fugir para a Terra Selvagem, onde pode estar a única esperança de derrotar Ultron!
Originalmente publicado em:

Age of Ultron 3-4 

Detalhes da edição

» 17 x 26 cm
» 52 páginas
» Capa Couché
» Lombada Grampo
» Papel LWC
» Publicação Minissérie Mensal
» Preço: R$ 6.50
» Distribuição Nacional
Divulgado no boletim 85


Ataque dos Titãs 3

Planet Mangá
Após ser dado como morto mas voltar de dentro do corpo de um titã, Eren enfrenta a desconfiança da Guarnição da Muralha. Agora, o mistério de seu pai precisa ser desvendado, e para isso os humanos tentam novamente recuperar a cidade de Trost.
Originalmente publicado em:

Ataque dos Titãs 3 

Detalhes da edição

» 13.7 x 20 cm
» 200 páginas
» Capa Cartão
» Lombada Quadrada
» Papel Pisa Brite
» Publicação Bimestral
» Preço: R$ 11.90
» Distribuição Setorizada
Divulgado no boletim 85


Stormwatch 1

DC Comics
Apresentando as novas aventuras da equipe, agora narradas pelo lendário Jim Starlin! Em sua primeira missão fora do planeta, o novo Stormwatch precisa se colocar a prova e mostrar que é uma equipe funcional. Mas um desentendimento com o Koletivo – grupo de criaturas feitas de energia psíquica detentoras da capacidade de se mover livremente por todo espaço e tempo –, faz a superequipe entrar em conflito com o terrível e sanguinário Lobo! E ainda: conheça o Stormwatch do Velho Oeste!
Originalmente publicado em:

All Star Western 17 -21 (II)
Stormwatch 19-23 


Detalhes da edição

» 17 x 26 cm
» 156 páginas
» Capa Couché
» Lombada Quadrada
» Papel Pisa Brite
» Publicação Especial
» Preço: R$ 16.90
» Distribuição Nacional
Divulgado no boletim 85


Os Vingadores 6

Marvel Comics
Uma cidade canadense é atingida pelas bombas de Ex Nihilo e, após a Tropa Ômega supostamente morrer investigando o local, as autoridades do país pedem a ajuda da SHIELD e dos Vingadores para lidar com a catástrofe! E uma equipe dos Vingadores tenta frustrar um leilão de armas da IMA. Novos Vingadores: os Illuminati vão à Latvéria!
Originalmente publicado em:

Avengers 10-11
New Avengers 6 


Detalhes da edição

» 17 x 26 cm
» 68 páginas
» Capa Couché
» Lombada Grampo
» Papel Pisa Brite
» Publicação Mensal
» Preço: R$ 6.50
» Distribuição Nacional
Divulgado no boletim 85


Hitman Reborn 7

Planet Mangá
Giannini, um dos modificadores de armas dos Vongola, chega ao Japão! Mas o resultado de seu trabalho não é o que todos esperavam…Para piorar, sem a sua shinuki-dan, Tsuna se torna alvo de assassinos profissionais!
Originalmente publicado em:

Hitman Reborn 7 

Detalhes da edição

» 13.7 x 20 cm
» 200 páginas
» Capa Cartão
» Lombada Quadrada
» Papel Pisa Brite
» Publicação Bimestral
» Preço: R$ 10.90
» Distribuição Setorizada
Divulgado no boletim 85


Constantine 2

DC Comics
Constantine chega a uma Londres que ele mal reconhece (e que o odeia!) para enfrentar o poder de Papa Meia-Noite. E ainda: testemunhe a conclusão do conflito entre a Liga da Justiça Dark e o Doutor Destino, e conheça os segredos que virão à tona como consequência desse embate.
Originalmente publicado em:

Constantine 3-4
Justice League Dark 21 


Detalhes da edição

» 17 x 26 cm
» 68 páginas
» Capa Couché
» Lombada Grampo
» Papel Pisa Brite
» Publicação Mensal
» Preço: R$ 6.50
» Distribuição Nacional
Divulgado no boletim 85


Wolverine 5

Marvel Comics
Wolverine, mesmo desconfiando da explicação de Nick Fury e com a aparição do Vigia, leva a investigação até o fundo… literalmente! E os alunos da Escola Jean Grey estão aprendendo como sobreviver na Terra Selvagem e o novo professor é o Cão Logan, o irmão que Wolverine acreditava estar morto!
Originalmente publicado em:

Wolverine 5
Wolverine and the X-Men 27 e 28 


Detalhes da edição

» 17 x 26 cm
» Capa Couché
» Lombada Grampo
» Publicação Mensal
» Preço: R$ 6.50
» Distribuição Nacional
Divulgado no boletim 85


Dragon Ball 23

Planet Mangá
Kulilin se encontra com o Grande Patriarca de Namekusei e tem esperanças de que Gohan possa ter seu poder oculto trazido à tona para enfrentar Vegeta, que continua reunindo as Esferas do Dragão. E Freeza resolve fechar o cerco e convocar as temidas Forças Especiais Ginyu.
Originalmente publicado em:

Dragon Ball 23 

Detalhes da edição

» 13.7 x 20 cm
» 192 páginas
» Capa Cartão
» Lombada Quadrada
» Papel Pisa Brite
» Publicação Mensal
» Preço: R$ 10.90
Divulgado no boletim 85


A Sombra do Batman 23

DC Comics
Batman e Capuz Vermelho decidem resolver todas as suas pendências! A Batwoman face a face com sua irmã há muito perdida, Beth. Batgirl enfrenta a Ventriloquista, uma ameaça insana até mesmo para seus padrões. Em Batwing, testemunhe a angustiante queda de um herói. Capuz Vermelho e os Foragidos vivem uma aventura especialíssima. E leia também: Mulher-Gato!
Originalmente publicado em:

Batgirl 21
Batman & Robin 20
Batwing 19
Batwoman 20
Catwoman 20
Red Hood and the Outlaws Annual 1 


Detalhes da edição

» 17 x 26 cm
» 148 páginas
» Capa Couché
» Lombada Quadrada
» Papel Pisa Brite
» Publicação Mensal
» Preço: R$ 15.90
» Distribuição Nacional
Divulgado no boletim 85


X-Men 5

Marvel Comics
Para atacar tornar a vida dos X-Men cada vez mais complicada, Mística começa uma campanha de crimes para denegrir a imagem dos mutantes. Enquanto isso, Ciclope está recrutando mutantes para a sua revolução e sua nova escola, e até mesmo integrantes da Escola Jean Grey para Estudos Avançados aceitam!
Originalmente publicado em:

All-New X-Men 10 e 11
Uncanny X-Men 4 


Detalhes da edição

» 17 x 26 cm
» 68 páginas
» Capa Couché
» Lombada Grampo
» Papel Pisa Brite
» Publicação Mensal
» Preço: R$ 6.80
» Distribuição Nacional
Divulgado no boletim 85

quinta-feira, 27 de março de 2014

quarta-feira, 26 de março de 2014

Novo livro de Neil Gaiman será "Faça boa arte". Lançamento em abril pela Intrínseca.


Fonte: Intrínseca
Façam boa arte. Esse foi um pedido sincero de ninguém menos que Neil Gaiman quando discursou para a turma de 2012 da University of the Arts na Filadélfia. Um discurso autêntico e repleto de significado – durante os 19 minutos em que falou, dois dos mais emblemáticos conselhos de Gaiman foram “criem suas próprias regras”  e “cometam erros”. Os conceitos libertadores defendidos para os alunos deram origem ao livro Faça boa arte, que será publicado pela Intrínseca em abril.
Gaiman teve a colaboração crucial do renomado designer gráfico Chip Kidd. A dupla abusa dos recursos gráficos e da metalinguagem para expressar o poder da criatividade. Gaiman alega que em qualquer área artística e de criação mesmo os erros que cometemos têm um grande potencial: com sensibilidade e muito trabalho, podem se transformar em brilhantes insights. Em relato pessoal, ele explica que certa vez, escrevendo Caroline em uma carta, inverteu de lugar o A e o O, e logo percebeu que Coraline parecia um nome de verdade. Um erro banal que, nas mãos do autor, tornou-se um fantástico acerto. Coraline é o título de um conto de fadas às avessas, publicado por Gaiman em 2002 e, mais tarde, adaptado para os cinemas. Uma história que conquistou milhares de novos admiradores para o trabalho do já aclamado autor.

Franz diz: a história acima serve para demonstrar os porquês de minha admiração pelo autor. Neil, assim como Stephen King, surpreende a cada nova empreitada. 
Essa não será diferente... 

Três novos lançamentos literários marcam a semana da Companhia das Letras


As sombras de Longbourn, de Jo Baker (Tradução de Donaldson M. Garschagen)
Antes de amanhecer em Longbourn,  uma extensa propriedade cravada nas colinas de Hertfordshire, uma criada de mãos rachadas se pergunta como seria se as senhoras da casa lavassem suas próprias anáguas. Teriam mais cuidado ao passear pela lama, erguendo a barra das saias? Sarah está com a família Bennet desde que seus pais morreram, e embora sua posição não permita sonhar com mais do que as dezoito horas diáris de trabalho, ela alimenta um desejo profundo de conhecer o mundo. A chegada de um novo empregado irá despertar as antigas ambições da jovem, dando início a uma pertubadora onda de questionamentos. Sem que os ocupantes do andar de cima se deem conta, a presença do novo lacaio movimenta lembranças distantes e pode colocar em xeque a rigidez do muro que separa serviçais e patrões. Inspirado em Orgulho e preconceito, este romance  se apropria dos personagens e cenários criados pela autora inglesa para recontar a história da família Bennet do ponto de vista dos empregados, que se mostrarão tão capazes de romance, aventura e intrigas quanto os protagonistas do maior clássico de Jane Austen.

A paixão medida, de Carlos Drummond de Andrade
A paixão medida apresenta um Drummond tardio, às vésperas de completar oitenta anos, mas ainda com vigor suficiente para escrever poemas fundamentais sobre os afetos e a existência. Experimentando as mais diversas formas poéticas, o autor faz desde o poema de teor filosofante à clássica lírica amorosa. No meio disso tudo, um Drummond que observa o século e oferece – com inteligência penetrante – uma leitura contundente e sempre cativante de tudo o que compõe nosso universo, das palavras à memória, da paixão humana à História.

Portfolio-Penguin

Bilhões e lágrimas, de Consuelo Dieguez
Em Bilhões e lágrimas, Consuelo Dieguez reúne pela primeira vez seus perfis econômicos publicados na revista piauí desde 2006. Uma das mais competentes jornalistas da atualidade desvenda os persoangens mais importantes da economia e dos negócios no país. Consuelo Dieguez observa cada detalhe, cada gesto, cada frase dita ao acaso para mostrar ao leitor como se faz jornalismo de qualidade.

Gregorio Duvivier e outros autores estão na lista de eventos da Companhia das Letras. Não percam!


Sessão de autógrafos com Consuelo Dieguez
Quinta-feira, 27 de março, às 19h
Consuelo Dieguez autografa seu novo livro, Bilhões e lágrimas – A economia brasileira e seus atores.
Local: Livraria da Travessa Leblon – Av. Afrânio de Melo Franco, 290 – Leblon – Rio de Janeiro, RJ

Lançamento de A Copa como ela é
Sexta-feira, 28 de março, às 19h
Jamil Chade lança o e-book A Copa como ela é em bate-papo com Juca Kfouri sobre os 10 anos de preparação do Brasil para a Copa de 2014.
Local: Livraria Saraiva Shopping Eldorado – Av. Rebouças, 3970 – Pinheiros – São Paulo, SP

Arte e Pop em 1964, com Ana Maria Bahiana
Sexta-feira, 28 de março, às 18h30
Ana Maria Bahiana e Arthur Dapieve analisarão o ambiente cultural efervescente dos anos 60 no Brasil e no resto do mundo e o impacto das perseguições aos artistas a partir do golpe, até o endurecimento total do regime com o AI-5. O evento terá sessão de autógrafos do livro Almanaque 1964.
Local: CCBB Rio – Rua Primeiro de Março, 66 – Centro – Rio de Janeiro, RJ

Café com Poesia com Gregorio Duvivier
Sábado, 29 de março, às 10h30
Venha conversar sobre poesia. Café com Poesia é um encontro mensal, e em março contará com a presença do ator e humorista Gregorio Duvivier, autor de Ligue os pontos: Poemas de amor e big bang. Evento gratuito, inscrições pelo email cursos@companhiadasletras.com.br
Local: Loja Companhia das Letras por Livraria Cultura – Av. Paulista, 2073 – Conjunto Nacional – São Paulo, SP

Lançamento de Almanaque 1964
Terça-feira, 1 de abril, às 18h30
Marcando os 50 anos do golpe militar no Brasil, a jornalista Ana Maria Bahiana lança Almanaque 1964 – Fatos, histórias e curiosidades de um ano que mudou tudo (e nem sempre para melhor).
Local: Livraria Cultura – Térreo – Av. Paulista, 2073 – Conjunto Nacional – São Paulo, SP

Conferência com Miguel Nicolelis
Terça-feira, 1 de abril, às 19h30
Miguel Nicolelis realiza conferência e lançamento do livro O maior de todos os mistérios, em co-autoria com Giselda LaPorta Nicolelis, em que contam com clareza e bom humor as últimas descobertas a respeito do cérebro.
Local: Teatro do Sesc Vila Mariana – Rua Pelotas, 141 – Vila Mariana – São Paulo, SP

Dica de aplicativo: Floating Toucher Ex


Descrição
Floating Toucher EX é projetado especialmente para o Android. O App é um botão flutuante na tela em relação a outros aplicativos, e você pode movê-lo para qualquer lugar. Floating Toucher Ex contém os mais utilizados interruptores de sistema Android e todos os aplicativos instalados, permitindo o controle de seu dispositivo ou abrir o aplicativos facilmente sem sair do aplicativo atual. O painel com estilo Pizza facilita o manuseio e é bem elegante. O acesso às teclas é bem simples. Algumas ações como 'voltar', por exemplo, exigem que o celular tenha o "root".

Além disso, você pode torná-lo único por: 

1. Personalizando as funções do painel, escolher seus mais utilizados interruptores ou aplicativos instalados.
2. Criar pasta para aplicativos ou switches.
3. Mudar o estilo de botão flutuante.
4. Mudar a cor do painel ou personalizar a sua própria cor.

FAQ 
Por que eu não consigo desinstalar Floating Toucher EX? 
O recurso de "tela de bloqueio" requer a ativação administrador do dispositivo, então você tem que desativá-lo em configurações de segurança antes de instalar.

Qual é a diferença entre Floating Toucher EX e flutuante Toucher? 
Flutuando Toucher EX tenha desbloqueado tudo o recurso de Floating Toucher, mas adicionar anúncios durante a exibição do painel.
Há duas maneiras para desinstalá-lo: 
1. Abra toque flutuante, ir para a página de configurações, encontrar a opção "Desinstalar". (Recomendo)
2. Primeiro, vá até "Configurações do Sistema" -> "Configurações de Segurança" -> "Os administradores do dispositivo" desativar "Floating Toucher EX", desinstale flutuante Toucher EX de uma forma normal.
Se houver qualquer problema ou comentário, por favor, avise-nos!
Nosso email: floating.mob @ gmail.com


sexta-feira, 21 de março de 2014

Lista de Compras: O que me faz pular (os mistérios do autismo) - Editora Intrínseca



Para melhor conhecermos esse estranho e fantástico universo que é o autismo.
 
“Os três caracteres japoneses usados na palavra ‘autismo’ significam ‘eu’, ‘fechado’ e ‘doença’. Minha imaginação vê nesses símbolos um prisioneiro trancado e esquecido numa cela de confinamento solitário à espera de que alguém, qualquer um, o note. O que me faz pular arranca um tijolo da parede.”
As palavras do escritor inglês David Mitchell oferecem um vislumbre do que os leitores encontrarão nas páginas de O que me faz pular, ao qual ele assina a introdução. O autor, Naoki Higashida, é autista e escreveu o livro quando tinha 13 anos. A narrativa poética serve como um guia para entender melhor o modo de pensar de pessoas portadoras dessa condição.
O lançamento de O que me faz pular será em 22 de março.

Neil Gaiman dá dicas para os novos escritores.


 
Inspirado pelas 10 regras de escrita de Elmore Leonard publicadas no The New York Times, o jornal britânico The Guardian pediu a alguns dos autores mais célebres da atualidade que compartilhassem com o público seus mandamentos de redação. Traduzimos as oito dicas de Neil Gaiman, o premiado autor de O oceano no fim do caminho. Vale tomar nota!
#1. Escreva.

#2 Escreva uma palavra depois da outra. Encontre a palavra certa, escreva-a.

#3. Termine o que você está escrevendo. Faça o que for preciso para terminar, e termine.

#4. Coloque o texto de lado. Leia fingindo que você nunca leu antes. Mostre-o a amigos cuja opinião você respeita e que gostem daquele tipo de coisa.

#5. Lembre-se: quando as pessoas dizem que algo está errado ou não funciona para elas, estão quase sempre certas. Quando dizem exatamente o que você está fazendo de errado e como corrigir, estão quase sempre erradas.

#6. Corrija. Lembre que, mais cedo ou mais tarde, antes que o texto fique perfeito, você precisa seguir em frente e começar a escrever a próxima coisa. Perfeição é como perseguir o horizonte. Continue escrevendo.

#7. Ria de suas próprias piadas.

#8. A principal regra da escrita é que, se escrever com segurança e confiança suficientes, você pode fazer o que quiser. (Essa pode ser uma regra para a vida, assim como para a escrita.) Então, escreva a sua história como ela precisa ser escrita. Escreva-a com honestidade e conte-a da melhor forma que você puder. Eu não sei com certeza se existem outras regras. Pelo menos, não as que importem…

quinta-feira, 20 de março de 2014

Quando o mercado editorial é comandado pelos jovens...


Em uma recente matéria publicada pela Folha, Úrsula Passos chama a atenção para um fato que comprova a necessidade dos leitores brasileiros pela conclusão das sagas por eles lidas: o prazo entre uma publicação literária e sua(s) sequência(s) está bem menor. 
Isso não se deve apenas ao apreço dos editores pelos leitores. A verdade é que a manutenção dos leitores, isto é, a conservação do número de leitores entre uma publicação e outra estava caindo vertiginosamente, motivada pelo longo espaço entre as publicações.
É desanimador para o leitor esse intervalo longo entre os livros. Em um período onde a literatura apela para as trilogias, quadrilogias, etc, fica difícil manter o interesse do público quando há demora nos lançamentos. Outro fato interessante está no público-alvo da literatura sequenciada: ele é, basicamente, constituído de jovens. Alguém conhece pessoas mais apressadas ou impacientes (não no sentido ruim da palavra) que os adolescentes e jovens? Eles são devoradores daquilo que curtem. São, literalmente, consumidores que precisam ter o que gostam dentro de seu próprio tempo, não dentro do tempo que os editores querem. 
E eles estão corretos? Para mim, estão. Levemos em conta que muitas séries estrangeiras já chegam aqui finalizadas, porém demoram demais para serem publicadas. Marketing ou não, o fato é que isso incomoda e desestimula o leitor.
As cobranças ocorrem até mesmo pelas redes sociais. Leitores entram em contato com os autores e pedem que a publicação ocorra o mais breve possível. No caso das edições já finalizadas, isto é fácil. Porém há séries inacabadas que não podem ter seu processo criativo acelerado. Aliás, quando esse processo de aceleração ocorre, o que vemos é uma continuidade mal feita e fãs decepcionados. 
As novas tendências editorias permitem que os leitores tenham ao seu alcance, quase em tempo real, as obras de seus autores preferidos. Os velhos tempos onde livros eram publicados com anos de diferença para seus países de origem acabou. Resta-nos ter esse tipo de tratamento também nas publicações com conteúdo didático e em obras de conteúdo mais "sério", não apenas nas obras de literatura fantástica.  



A segunda edição da revista Trasgo de Ficção Científica já está disponível. Não deixe de apoiar este projeto!!



Depois de três meses da primeira, temos uma nova edição da revista Trasgo! Se quiser, você já pode ir baixar no site trasgo.com.br! ;)

PARE! Ainda não leu a primeira edição e quer saber mais sobre o editor e a revista? Leia a entrevista de Rodrigo Van Kanpen no Revista Fantástica e descubra muito mais sobre a Trasgo e seus colaboradores.


Chegamos à segunda edição com a responsabilidade de fazer uma revista tão boa quanto, ou ainda melhor do que nossa edição piloto, que conquistou espaço nas críticas de muitos blogs e veículos nacionais de literatura.

Se a piloto foi feita somente com textos de convidados, esta edição já está mista, com contos de autores selecionados e outros enviados pelo nosso site. Falando nisso, recebemos um bom material pelo formulário, muito do qual ainda não foi avaliado para a terceira edição, mas estou com ótimas expectativas para a próxima. Que tal mandar o seu material também para a gente? Entre no site e veja como!

Para esta edição, arrumamos algumas coisas em relação à formatação do ebook, principalmente na galeria, que agora traz os trabalhos de Alex Leão, ilustrador de Campinas. Contamos com a participação de Ana Lúcia Merege com Rosas, um belo conto escrito nas entrelinhas; Victor Oliveira de Faria resgata o sentimento dos clássicos da era de ouro da FC com seu Cinco Bilhões; e Jim Anotsu homenageia o teatro clássico inglês à la cultura pop em Hamlet: Weird Pop. Também temos um pequeno conto cyberpunk, Código Fonte, de George Amaral e um delicioso exercício de estilo de Albarus Andreos com A Maldição das Borboletas Negras. Para fechar esta edição, Cristina Lasaitis nos permitiu publicar seu ótimo O Homem Atômico, um conto urbano entre a ficção científica e a história alternativa.

Como contamos em algumas entrevistas, a Trasgo está em um período de testes durante suas quatro primeiras edições, que serão gratuitas. Queremos provar que é possível manter uma revista profissional com contistas em língua portuguesa. Para isso, precisamos da sua ajuda para aumentar o número de leitores. Colabore, divulgue a Trasgo e encaminhe este e-mail para amigos.

Espero que esta edição, feita com tanto carinho, esteja à altura de suas expectativas. Allons-y!

Acesse agora!   http://trasgo.com.br

Obras hiperrealistas de Ron Mueck estão no MAM do Rio de Janeiro. Não percam!


Ron Mueck é um dos mais conceituados escultores hiperrealistas do mundo. Com obras inspiradas no próprio pai, pessoas estranhas ou até mesmo o próprio Ron, os espectadores irão se deparar com esculturas gigantes, em tamanho natural ou pequenas, porém todas extremamente detalhadas e realistas. Algumas surpreendem e chocam pelo realismo, fato que agrada o criador .
A exposição ocorre no MAM do Rio de Janeiro entre 20 de março e primeiro de junho. Esta é a primeira vez que o escultor expõe na América Latina.
Não percam esta oportunidade única.

Mais posts para incentivá-los a comparecer e conhecer este magnífico trabalho:

Vídeo com esculturas ultrarrealistas de Ron Mueck.
Ron Mueck - Escultor realista

Como chegar: Av. Infante Dom Henrique 85 / Parque do Flamengo / 20021-140 / Rio de Janeiro RJ +55 (21) 3883 5600 / fax.: +55 (21) 3883 5612 ter - sex 12h - 18h sab – dom e feriados 12h – 19h - a bilheteria fecha 30 min antes
Eis as palavras do presidente do MAM:

RON MUECK

20 de Março a 01 de Junho de 2014

Há mais de quarto anos desejamos expor os trabalhos de Ron Mueck, um escultor australiano que reside e trabalha na Grã Bretanha. O artista utiliza cinema e efeitos especiais incrivelmente realistas para criar seus trabalhos – esculturas que reproduzem os detalhes do corpo humano com tanta precisão que, se não fosse pelo tamanho, poderiam passar por seres reais.
Quando Hervé me contou que Ron Mueck tinha sido convidado para mostrar sua nova escultura na Fondation Cartier pour l’art contemporain, em abril de 2013, apresentei ideia à Adriana Rosenberg, diretora da Fundación Proa, nossa parceira em exposições importantes e ao Bruno Assami, que está sempre envolvido em nossos projetos.  Ambos são grandes admiradores do trabalho de Ron Mueck. Propomos o projeto à Organização Techint | Tenaris, nosso patrocinador e uma dos maiores fomentadores de cultura na Argentina e no Brasil, e eles imediatamente o abraçaram.
Além das seis importantes e recentes esculturas, a exposição inclui três que foram criados especialmente para este evento. Um novo filme documentando a criação foi produzido por Gautier Deblonde para esta ocasião.  Mostrar o artista recluso trabalhando, enfatiza ainda mais a sensibilidade e o poder das esculturas, e destaca seu significado especial em nossos dias.
No começo de sua carreira, ele criou fantoches e adereços para a TV assim como filmes infantis.  Mais tarde, ele fundou sua própria companhia, em Londres, e trabalhou com publicidade.  O objetivo do escultor é criar esculturas que são cada vez mais reais.  Ele brinca com escalas para produzir imagens visuais que são maiores do que a vida.
A exposição começou sua itinerância em abril, na Fondation Cartier pour l’art contemporain, em Paris, recebendo mais de 300.000 visitantes, e depois na Fundación Proa,em Buenos Aires. Chega agora ao Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, encerrando seu ciclo de exposiçõesem junho. Estamos certos de que será um grande sucesso de público e crítica, e uma das exposições mais importantes dos últimos anos.
Finalmente, gostaria mais uma vez de agradecer à Organização Techint | Tenaris e a todos os colecionadores que cederam trabalhos para esta exposição; Hervé Chandès, Diretor Geral da Fondation Cartier pour l’art contemporain e Grazia Quaroni, curadora; nossos patrocinadores e parceiros, os funcionários do MAM, Charles Clark e a todos que ajudaram a fazer desta exposição uma realidade, e um agradecimento especial também para Anthony d’Offay.
Carlos Alberto Gouvêa Chateaubriand
Presidente do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro

terça-feira, 18 de março de 2014

Três novos lançamentos literários marcam essa semana na Companhia das Letras.


O mesmo mar, de Amós Oz
Este romance introspectivo e poético acompanha o entrelaçamento de triângulos amorosos. O principal gira em torno de Albert Danon, um viúvo sexagenário. Seu filho, Rico, após a morte da mãe, parte para o Tibet em busca de paz interior. Durante sua ausência, a namorada, Dita, aproxima-se do sogro idoso em busca de proteção, mas a relação acaba assumindo caminhos inesperados. O mesmo mar supreende pelo alto grau de elaboração literária, pela profusão e riqueza de suas formas. O enredo se revela numa sequência de seções curtas, compostas às vezes no tom casual e ameno das conversas de todo dia, às vezes como parábola bíblica, fábula, sonho ou poema. O mundo em que vivem as personagens de Amós Oz é barulhento, mas o romance cria um intimismo que convida o leitor a se concentrar no que elas estão dizendo.

Reflexões ou sentenças e máximas morais, de François de La Rochefoucauld
Muitas das máximas de François VI, duque de La Rochefoucauld, se incorporaram ao imaginário coletivo, recitadas há gerações sem atribuição. Não é para menos: com ironia fina e profundo pessimismo, seus escritos revelam uma acachapante habilidade de descrever as fraquezas e rodeios morais a que todos estamos sujeitos. Importante moralista e pensador francês, membro da alta nobreza, envolvido nas intrigas da corte e personagem-chave da Fronda, a guerra civil que dividiu a França entre os anos de 1648 e 1653, La Rochefoucauld somou a experiência nos círculos aristocráticos, frívolos e mundanos, sedentos de poder e reconhecimento em que vivia à observação filósofica, ajudando a consolidar e popularizar as máximas como gênero literário.

Da minha terra à Terra, de Sebastião Salgado
Sebastião salgado é conhecido no mundo todo por suas fotos em preto e branco. Depois de retratar trabalhadores e refugiados com profunda dignidade, o fotógrafo voltou ao centro da cena fotográfica em 2013, com o “Projeto Gênesis” . Mas apesar de as imagens de Sebastião Salgado já terem dado a volta ao mundo, sua história pessoal, as origens políticas, éticas e existenciais de seu engajamento fotográfico permaneciam ignoradas. Em Da minha terra à Terra, é seu talento como narrador que supreende. A autenticidade de um homem que sabe como poucos combinar militância, profissionalismo, talento e generosidade.

Anatel promove medidas para impedir o uso dos celulares piratas.


Por: Leyberson Pedrosa, via EBC.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) começou, nesta terça-feira (18), a passar um pente-fino na rede de telecomunicação para identificar os modelos de celulares piratas que existem no Brasil. A partir do levantamento, a Anatel pretende implementar um série de medidas para que os aparelhos sem homologação não funcionem com os chips das operadoras brasileiras.
Contudo, não há um prazo para o início do bloqueio de celulares não homologados e a ação não deve atingir a Copa do Mundo de 2014. De acordo com a Anatel, a primeira etapa do levantamento dos aparelhos celulares no país está sendo realizado pelo Sistema Integrado de Gestão de Aparelhos (Siga) em fase experimental. O bloqueio dependerá do anúncio de medidas futuras para garantir o acesso às redes somente de aparelhos regulares.
Popularmente, esses equipamentos irregulares são conhecidos como celulares piratas ou xing-ling (uma vez que a maioria é produzida na China a baixos custos de produção). Os aparelhos podem possuir marcas próprias ou copiar nome e visual de outras fabricantes.
Segundo a agência, o objetivo da ação é retirar gradualmente do mercado equipamentos de baixa qualidade que entram no país por meio de contrabando.  As medidas também podem abranger outros equipamentos como tablets que utilizam o sinal de rede móvel (3G ou 4G) e que não foram devidamente cadastrados no país.
Mesmo que o aparelho tenha capacidade técnica de funcionamento, todo equipamento que emita sinais de radiofrequência precisa ser certificado pela Anatel para funcionar no Brasil. A partir daí, ganham um número de homologação e o celular é identificado com um símbolo da Anatel. A Anatel analisa critérios técnicos e de segurança para evitar interferência entre diferentes dispositivos ou riscos de dano à saúde do usuário.
Na primeira fase do Siga, a agência pretende identificar quais celulares em operação estão regulares e quais não estão. Posteriormente, a agência poderá impedir novas habilitações em celulares piratas. Em tese, quem tiver um aparelho não homologado e já ativado poderá continuar a usá-lo até o momento em que for necessário substituí-lo. Mesmo assim, em nota de esclarecimento sobre o tema, a Anatel recomenda que os consumidores "não comprem aparelhos de telefone, fixos ou celulares, sem o selo da Agência".
É possível consultar se um produto é homologado pela Anatel. Para isso, acesse o site da agência e detalhe as informações no filtro da pesquisa.

O que é o IMEI do celular?

O IMEI (International Mobile Equipment Identity / Identificação Internacional de Equipamento Móvel) é como se fosse a identidade do aparelho para a rede. Uma vez o aparelho roubado, por exemplo, o dono pode informar o número do IMEI (presente na caixa do produto e nó próprio aparelho) para a operadora, inutilizando o aparelho para habilitações do sinal.
Se o aparelho não for homologado, o número individual e internacional de identificação do equipamento, conhecido como IMEI, não estará no banco de dados de aparelhos regulares das operadoras brasileiras. Atualmente, qualquer celular com um número de IMEI é ativado automaticamente, bastando apenas ao consumidor comprar um chip e cadastrar o seu número de CPF e endereço.
Uma dica sempre válida é anotar o número do IMEI e guardá-lo em lugar de fácil acesso como, por exemplo, em seu e-mail. Para encontrá-lo na maioria dos aparelhos, basta digitar *#06#. O aparelho deve mostar uma sequência de 17 números. Caso não apareça nada, olhe atrás do aparelho.

Franz diz: a medida é interessante para evitar o uso de celulares piratas, porém ela ganharia força e apoio popular se houvesse uma redução sensível dos preços dos celulares originais. Os atuais aparelhos vendidos de forma legal, oriundos de fontes seguras, são caros demais para os padrões brasileiros; mesmo quando baratos, as funções disponíveis são insignificantes para o usuário moderno. É preciso combater a pirataria, mas é vital respeitar o usuário que já paga um absurdo de impostos.


Olimpíada de Matemática para escolas públicas tem inscrição aberta até 21/03


Fonte: EBC
 
Estudantes de escolas públicas federais, estaduais e municipais têm prazo até sexta-feira (21) para se inscrever na 10ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas. Podem participar da competição alunos do  sexto ao nono ano do ensino fundamental e dos três anos do ensino médio, que devem ser inscritos pela escola, no site www.obmep.org.br.

A prova da primeira fase será feita na próxima escola, no dia 27 de maio, e terá 20 questões de múltipla escolha. Em cada escola, 5% dos alunos com melhor desempenho classificam-se para a segunda fase, na qual devem ser expostos os cálculos e o raciocínio usados em seis questões dissertativas.

Este ano, 6.500 estudantes vão receber medalhas e 46.200, menção honrosa. Os ganhadores de medalhas serão convidados a participar de programas de iniciação científica, mestrado em matemática e também de programas de treinamento para participação em competições internacionais. Professores, escolas e secretarias de Educação de municípios que se destacam também são premiados.

A Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas é organizada pelo Instituto de Matemática Pura e Aplicada, com apoio da Sociedade Brasileira de Matemática e dos ministérios da Educação e da Ciência, Tecnologia e Inovação. A primeira edição da competição foi em 2005 e teve participação de 10,5 milhões de alunos de 31 mil escolas. No ano passado, foram 19 milhões de estudantes, de 47 mil escolas de 99,3% dos municípios brasileiros. O objetivo da olimpíada é estimular o estudo da matemática e descobrir talentos na área.

←  Anterior Proxima  → Página inicial