{lang: 'en-US'}

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Feliz Halloween!


Hoje é o dia das Bruxas, o popular Halloween. Divirtam-se...



Heróis e vilões da DC em imagens que homenageiam Norman Rockwell.


Por: Franz Lima. Curta nossa fanpage: Apogeu do Abismo.

A revista The Saturday Evening Post existe. Ela foi um estrondoso sucesso por conta das muitas capas feitas pelo ilustrador Norman Rockwell (falecido em 8 de novembro de 1978). 
Suas artes retratavam o cotidiano dos estadunidenses de forma brilhante e carismática. Alguns de seus trabalhos estão imortalizados na história da ilustração e são imitados até hoje.
Com base nesses trabalhos, o ilustrador espanhol Juan Carlos Ruiz Burgos criou capas onde vilões e heróis da DC são mostrados. As referências às suas vidas e tramas estão em cada detalhe. 
O resultado final é simplesmente sensacional. 

Hera Venenosa: nua, ela anuncia a queda das folhas à mulher que vende plantas como mercadoria de boa sorte.

Zatanna: sensual ao extremo, a mágica aparenta ter saído de controle. O rosto dela está absurdamente bem retratado. As caveiras são uma referência à Liga da Justiça Dark.

Mulher-Gato: o policial está paralisado pela beleza da ladra. Ao fundo, o vidro foi cortado e as jóias estão espalhadas com os gatos. 

Mulher-Maravilha: moto de guerra remete ao seu surgimento, enquanto a menininha segura a revista com sua primeira aparição na Sensation Comics.

Superman: retratado como Clark. Ao fundo há uma referência aos criadores do herói, além de uma edição da primeira aparição nos quadrinhos.

Supergirl: a imagem no avião tem a legenda "Krypton Bombs". 

Bane: reparem na garrafa de veneno, o pôster com uma referência à queda do Batman e no saco de pancadas com o nome da
ilha onde nasceu.

Arlequina e Coringa: cartas com o tradicional Joker e o jornal na mão dela tem uma notícia sobre o Batman

Monstro do Pântano e sua pinup. 

Duas-Caras: o ácido e a justiça sem cabeça em destaque. O piso é a famosa moeda riscada.


Review de Westworld S01E03: quando o caos se anuncia.



Por: Franz Lima. Curta nossa fanpage: Apogeu do Abismo.

Leiam antes as resenhas dos episódios anteriores:  S01E01 e S01E02

A trama desse terceiro episódio ganha uma bela referência à Alice no País das Maravilhas. Aliás, é esse livro que Dolores ganha como presente, algo que aguça as memórias dela, inclusive as que deveriam ter sido apagadas.
Reencontramos alguns personagens do segundo episódio cuja pertinência à história ganha realce. Dolores e a prostituta dona do Saloon Mariposa são apenas alguns exemplos.
Tal como Alice que vive suas aventuras e pensa estar sonhando, assim são os personagens robóticos que vivem para entreter, mas, em um recanto escondido de suas “almas”, querem acordar e ter suas vidas para si.

A cena abaixo é a que mais apareceu em todos os episódios até agora. Essa cena serve para evidenciar o papel real dos androides como meros atores em um gigantesco e grotesco teatro. As máquinas são meros objetos de diversão, não importa o quanto ‘sofram’ para manter a encenação.



“Em tempo: o termo ciborgue serve para designar um híbrido entre máquina e homem, seja por meio de aperfeiçoamentos ou alguém com peças que substituam membros. Já o androide é, especificamente, uma máquina com aparência humana. Logo, Westworld tem androides, não ciborgues.”

Há um ponto ainda obscuro na trama: o papel dos funcionários do parque nessa silenciosa revolução que está afetando as máquinas. Desde Ford até Bernard, parece que muita gente está direta e indiretamente envolvida nessa sutil mudança de comportamento dos androides.

Detalhes dos papéis de Teddy e Dolores são revelados. Um novo elemento do passado de Teddy é acrescentado por Ford; um elemento que irá trazer o caos à vida do cowboy. Um vilão que faz parte do passado dele e voltou para atormentá-lo. Alguém mais violento e cruel que o Homem de Preto. Seu nome: Wyatt.

Mas as surpresas não param por aí. Um fantasma do passado retorna para atormentar a equipe de Westworld. Pequenas falhas foram diagnosticadas, mas o problema maior está em haver “vozes” nas mentes dos androides. A voz é de alguém muito importante para o projeto, um homem ainda desconhecido do público, mas vital para a idealização do parque temático. Alguém distante há anos que teria conhecimento suficiente para implantar uma janela de programação, algo muito próximo a uma falha programada ou um acesso a um programador específico. Será?


Nesse intervalo, Teddy e uma visitante, acompanhados por homens da lei, partem para capturar Wyatt. Enquanto isso, outra perseguição acontece, já que uma equipe de técnicos do parque descobre um anfitrião em fuga.

Novos detalhes sobre a metodologia de trabalho dentro de Westworld, o parque, são revelados. Aparentemente os funcionários vivem em um regime de trabalho bem próximo ao que conhecemos em plataformas de petróleo ou em centros de pesquisa na Antártida ou outro lugar distante. As pessoas ficam em um regime fechado, por um período determinado, podendo se comunicar apenas por meio de um programa próprio com seus familiares. Logo, a dedicação para estar entre os responsáveis pelo projeto é muito maior do que imaginamos.

Para melhorar ainda mais o episódio, que começou cheio de tensão e ação, há uma pequena passagem onde são revelados mais detalhes sobre a estrutura dos androides. Sensacional.


Voltamos às caçadas: por Wyatt e seu bando e, ainda, pelo anfitrião desgarrado. Tudo que poderia dar errado acontece, fatos que por si só mostram a instabilidade dentro do parque. Não há nada que possa ser previsto à perfeição. Erros existem. Isso sem contarmos com um fator que está presente desde a primeira aparição do Homem de Preto: a liberdade que certos convidados compraram.


Então, meu amigos, finalizo com um aviso: mudanças estão ocorrendo em um ritmo acelerado. Mudanças para o bem e para o mal. Mudanças que não estão incluídas no organizado universo planejado que conhecemos por Westworld. Logo, a engrenagem pode quebrar a qualquer momento.

domingo, 30 de outubro de 2016

Planeta dos Macacos: A Guerra - War for the Planet of the Apes. Teaser trailer review.


Por: Franz Lima. Curta nossa fanpage: Apogeu do Abismo.
César retorna no terceiro filme que conta a história dos símios que evoluíram a ponto de dominar a Terra. Os filmes são um prequel da série e dos longa-metragens que marcaram as décadas de 1960 e 1970. 
Os dois filmes anteriores foram Planeta dos Macacos: A Origem (Rise of the Planet of the Apes, 2011), de Rupert Wyatt, e Planeta dos Macacos: O Confronto (Dawn of the Planet of the Apes, 2014), de Matt Reeves. Essa terceira produção também tem a direção de Matt Reeves e conta com os talentos de Judy Greer, Woody Harrelson e Andy Serkis, entre outros.
A sinopse oficial do filme já foi divulgada:

Em Planeta dos Macacos – A Guerra, o terceiro capítulo da franquia de sucesso aclamada pela crítica, César e seus macacos são forçados a um conflito mortal com um exército de seres humanos liderados pelo cruel Coronel. Após os macacos sofrerem perdas inimagináveis, César luta com seus instintos mais sombrios e começa sua própria busca mítica para vingar sua espécie. Como a viagem final finalmente os trazem cara a cara, César e o Coronel são colocados uns contra os outros em uma batalha épica que irá determinar o destino de ambas as espécies e o futuro do planeta.

O teaser trailer mostra a face de César sendo construída a partir de partículas de pó, algo que evidencia uma guerra e a destruição por ela causada. A voz de César é um alerta e diz o seguinte: 
"Você deve partir antes da luta começar. Sinto muito. A guerra começou."
Essas palavras ditas de forma ritmada e cheias de pesar mostram que o tom do filme será extremamente mais sombrio que o de seus antecessores. Creio que finalmente estamos próximos ao caos que a franquia original mostrou.
Vejam o teaser trailer e digam-me se concordam.


sábado, 29 de outubro de 2016

CCXP 2016 confirma MiniCon, área dedicada às crianças, em parceria com a Nickelodeon



Curta nossa fanpage: Apogeu do Abismo.

Espaço temático deve entreter os pequenos fãs de cultura pop na Comic Con Experience, que vai reunir cerca de 180 mil pessoas de 1 a 4 de dezembro, no São Paulo Expo

São Paulo, outubro de 2016. Por mais um ano, a CCXP – Comic Con Experience (www.ccxp.com.br) anuncia um espaço dedicado aos “mini nerds”. É a MiniCon, especialmente criada para o público infantil que estará presente no maior evento de cultura pop da América Latina.
Na terceira edição do evento a novidade fica por conta das atrações levadas pela Nickelodeon, com personagens como Tartarugas Ninja, Bob Esponja, entre outros que fazem parte da grade de programação do canal. O ambiente conta ainda com uma loja com itens exclusivos para venda na CCXP, fraldário e banheiro infantil.
Crianças poderão aproveitar o espaço junto com os pais enquanto monitores comandam uma programação especial para a criançada. Mais detalhes sobre atrações e funcionamento da área serão anunciados nas próximas semanas.
A Nickelodeon Brasil é um canal de televisão por assinatura que pertence à Viacom International Media Networks The Americas, filial do canal americano Nickelodeon.
A CCXP – Comic Con Experience 2016 acontece entre 1 a 4 de dezembro no São Paulo Expo, próximo à estação Jabaquara do Metrô, com conteúdos para fãs de quadrinhos, cinema, programas de TV, desenhos animados e outras áreas da cultura pop. O evento ocupará 100 mil metros quadrados (80% a mais que na edição de 2015) e espera receber 180 mil visitantes de todos os Estados do Brasil e também do exterior, firmando-se como a maior comic con da América Latina e a terceira maior do mundo em público, atrás apenas da San Diego Comic Con e da New York Comic Con. Os ingressos de sábado (3/12) e pacote para os quatro dias já estão esgotados. Os ingressos para quinta, sexta, domingo e  Full Experience estão à venda. Para adquirir ingressos e saber mais, acesse o site www.ccxp.com.br.

Sobre a CCXP Comic Con Experience

A CCXP - Comic Con Experience, que realiza sua 3ª edição de 1 a 4 de dezembro no São Paulo Expo, acontece no Brasil nos moldes das comic cons realizadas em diversas partes do mundo, que reúnem fãs e profissionais de quadrinhos, cinema, TV, games, anime, RPG, memorabilia, ficção científica e colecionáveis para conhecerem as últimas novidades dessas áreas em uma grande celebração do universo geek e da cultura pop. O evento é organizado pelo Omelete Group, Chiaroscuro Studios e Piziitoys. Informações e ingressos no site: www.ccxp.com.br

Sabiam que o pai do Rolando Lero já apareceu na Escolinha do Prof. Raimundo?



Por: Franz Lima. Curta nossa fanpage: Apogeu do Abismo.

Ele foi um dos mais carismáticos humoristas brasileiros. Rogério Cardoso, o Rolando Lero, também esteve presente no cinema, teatro e tv. Foi um dos destaques dos seriados O Auto da Compadecida e também da Grande Família. Infelizmente ele deixou no dia 24 de julho de 2003. Mas sua partida não é o fim de suas obras. 
Assim, nada mais justo que uma breve homenagem a esse ator magnífico, dono de um humor sem igual. A saudade fica, porém também permanece o legado de um humor feito com excelência.
O vídeo abaixo mostra o encontro entre Chico Anysio, Rogério Cardoso e Mario Lago. Mario faz o papel do pai de Rolando Lero, Armando Lero. Tal como o filho, a oratória e a falta de conhecimento são marcas registradas. Divertidíssima passagem da Escolinha do Professor Raimundo, ainda desconhecida por muitos. 
Aproveitem!!!!
Nota: a voz de Mario Lago me lembrou demais o médium Divaldo Franco. 


sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Que cosplay é esse? Mavis, de Hotel Transylvania, perfeita.



Por: Franz Lima. Curta nossa fanpage: Apogeu do Abismo.

Antes de qualquer coisa, essas imagens não são CGI. Trata-se da cosplayer Coser Tiểu Nhu - 小柔SeeU ou simplesmente @xiaorouseeu.
A caracterização dela como Mavis ficou perfeita. Vejam o resultado desse fantástico cosplay nas fotos seguintes:




Vingadores: Era das Trevas. Como seriam eles na Idade Média?



Por: Franz Lima. Curta nossa fanpage: Apogeu do Abismo.

Os Vingadores ganharam muito mais espaço e notoriedade após os filmes. Mas não é de hoje que a equipe é sucesso entre os fãs de quadrinhos. Por isso, várias versões e homenagens já foram feitas a eles. Essa versão medieval, de autoria do artista The Durrrrian, é uma das mais bacanas que já vi, principalmente por ser uma arte com visual de pintura, extremamente bonita.









quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Os Impossíveis. Tributo aos heróis da Hanna-Barbera.



Por: Franz Lima. Curta nossa fanpage: Apogeu do Abismo.

Eles fizeram parte de um dos momentos mais importantes da Hanna-Barbera. Ao lado de heróis como o Galaxy Trio, Homem Pássaro, Jonny Quest, Mightor, Os Herculóides e tantos outros, os Impossíveis marcaram uma geração.
Assim, nada mais justo que essa homenagem feita por tantos desenhistas na internet a um dos trios mais famosos da animação.















Lista de Compras: Ultra Carnem - o terror nacional se une à Darkside Books.



Curta nossa fanpage: Apogeu do Abismo.

Era um encontro inevitável. De um lado, a Caveira querendo publicar revelações do terror nacional. Do outro, um farmacêutico carismático com um toque de “O médico e o monstro” desejando dar voz as possibilidades sombrias que corriam em suas veias.

O pacto foi selado em latim e da união entre Cesar Bravo e a editora mais sombria do mercado nasceu um livro visceral. ULTRA CARNEM expande a sua obra mais popular, com quatro histórias que despem o irreal e tem como elo um olhar sarcástico de quem observa o mundo e compreende que na disputa entre o Céu e o Inferno nós somos o prato principal. Narrativas insanas, repletas de pactos, demônios, conversas capciosas, sangue, socos na boca do estômago e... bom, a gente não vai contar tudo.
Só o que podemos revelar é que ULTRA CARNEM expande em muito a mitologia criada por Cesar Bravo, dando detalhes assustadores sobre a infância e a obra maldita de Wladimir Lester, o estranho menino pintor. Além disso, o autor mostra até onde vai a fome de um homem desesperado pela fama ou por uma vida mais digna por direito. A caminhada segue sem pudores expondo a fragilidade de cada um de nós. Por fim, o leitor fica com a sensação de que nós, humanos, não devemos bancar o esperto. E que não existe a possibilidade de enganarmos o céu e o inferno.
A incursão de Bravo na literatura de horror aconteceu bem cedo, influenciada por sua personalidade e gosto pessoal. Mergulhado nos livros, nos filmes ou na arte em geral, não importava: essa atmosfera macabra esteve sempre presente. Em meados de 2011, abraçou o medo como matéria prima e decidiu dar início a uma carreira na literatura. Após autopublicar antologias e romances na Amazon, ele foi ganhando cada vez mais visibilidade e se tornou querido e admirado entre os fãs de terror nacional. Em 2013, foi premiado no concurso de Novos Talentos da Literatura realizado pela FNAC.
Cesar é um admirador e seguidor dos grandes mestres, devoto de Edgar Allan Poe e H.P. Lovecraft. Com uma voz única e muito brasileira, o terror nacional volta a respirar na pele da nova geração de autores e leitores sedentos por histórias que deem voz a nossa identidade, mas que nos levem muito além da carne.


←  Anterior Proxima  → Página inicial