{lang: 'en-US'}

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

A fidelidade de A Bela e a Fera à animação é um mal sinal?




Aguardamos com ansiedade pelos trailers e teasers de A Bela e a Fera, o live action inspirado na animação homônima feita pela Disney no ano de 1991. São 26 anos de uma longa espera para ver os personagens que antes só existiam em nossas mentes e corações como desenhos, agora como pessoas (ou não) na telona.
A demora é justificada. O que foi visto na animação da Disney era muito difícil de reproduzir com fidelidade nos anos seguintes. A demora para saltar da animação para a filmagem com atores é compreensível. Isso sem falar que havia o receio de não ter um retorno financeiro à altura do investimento, algo que logo foi esquecido com os sucessos dos live action de Peter Pan, Malévola e Mogli, este uma cópia fiel da animação clássica também da Disney.


Texto: Franz Lima
Curta nossa fanpage: Apogeu do Abismo

Mas vamos ao questionamento que nomeia este post: a fidelidade do novo filme A Bela e a Fera é um mal sinal?
Honestamente, eu creio que não. Sei que não irão reproduzir quadro a quadro o que vimos anos atrás, mas isso também não implica em dizer que irão se distanciar da obra clássica da animação. Há adaptações visíveis de personagens para que estes ganhem credibilidade diante dos espectadores, mesmo para aquele público que desconheça a versão anterior ou a história da trama. Lumiére é uma clara evidência disso.

A maquiagem, os efeitos especiais e a trilha sonora são verdadeiras homenagens à obra de 1991. As "coincidências" são um presente para quem ama a obra. Pude perceber que a escolha do elenco está bem coerente e aproxima, fisicamente, os personagens do desenho de seus pares na versão live action.

Apesar das pequenas divergências acima citadas, algumas partes foram simplesmente transpostas do desenho para o "mundo real". 
Assistam ao vídeo abaixo que faz essa comparação de forma perfeita:

Outro ponto muito legal é a permanência dos musicais que a obra de 1991 tinha. A Bela e a Fera é um furação de emoções que ganha impacto com as músicas que foram criadas para ampliar seu alcance. Também pude perceber que as características de cada um dos personagens continua, seja o jeito engraçado de Lumiére, o jeito meigo e encantador da bela ou o mau-humor da Fera. Tudo parece estar preservado e condizente com aquilo que vimos anos atrás, uma clara demonstração de respeito aos fãs do desenho.



Eu concluo que veremos um espetáculo inesquecível, assim como foi a animação nos idos anos de 1991. 
Alguns podem achar que seguir aquilo que foi visto em 1991 pode limitar as atuações dos atores, porém eu acredito no talento e, sem dúvidas, esse elenco é repleto de talentos já consagrados no cinema. 
A nova versão poderá ser vista por todos e irá levar pais e filhos ao cinema. Como toda boa e atemporal produção, A Bela e a Fera já é um sucesso e irá cumprir com seu papel como obra cinematográfica e entretenimento, agregando gerações. Agora, resta paciência para que a ansiedade pela estreia não nos enlouqueça ;)

←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário